ISSN: 2316-4271

Carta de BH

CARTA DA 11a JORNADA BRASILEIRA DE ENFERMAGEM GERONTOLÓGICA

A 11º Jornada Brasileira de Enfermagem Gerontológica, realizada no período de 12 a 14 de julho de 2017, no Auditório da Escola de Engenharia da Universidade Federal de Minas Gerais, na cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, reuniu 187 participantes e abordou como tema central “Diferentes Maneiras de Envelhecer: Experiências e Perspectivas para a Enfermagem”.

O tema foi abordado considerando-se quatro eixos, a saber: O cuidado de enfermagem e as diferentes maneiras de envelhecer; Políticas públicas e redes de atenção à pessoa idosa; Tecnologias sociais inovadoras: perspectivas para o cuidado à pessoa idosa; Formação de profissionais de enfermagem para o cuidado gerontológico e articulação ensino-serviço-comunidade.

O 1º Encontro dos Residentes de Enfermagem Gerontológica e Saúde do Idoso discutiu propostas de melhorias para a residência de enfermagem na saúde do idoso abordando: os processos de formação dos residentes, destacando para a necessidade de mobilidade entre os programas de residência no Brasil; os desafios na relação entre o residente, o tutor, o preceptor e o cenário de prática, indicando a necessidade de um alinhamento teórico e prático entre os atores envolvidos nesse processo de formação; e o empoderamento do residente frente as suas condições de trabalho na qual seja possível discutir sobre seus direitos e deveres.

Durante as discussões nas mesas redondas, painéis e debates, levando em conta as boas práticas no campo do envelhecimento e da saúde da pessoa idosa, os participantes recomendaram:

  • Reconhecer dos diferentes modos de envelhecer preservando as singularidades e considerando que diferentes experiências requerem cuidados distintos;
  • Superar a perspectiva que o envelhecimento saudável é conquistado por um esforço pessoal e sim uma possibilidade para todos;
  • Construir uma nova linguagem e olhar sobre os idosos que considere o tempo em todas as suas perspectivas: no passado, no presente e no futuro;
  • Provocar mudanças no modelo de atenção ao idoso para o alcance da integralidade, reconhecendo que o cuidado deve ser realizado com foco nas necessidades do sujeito, sem culpabilizá-lo pelos agravos que apresenta;
  • Incluir a pessoa idosa como sujeito participativo nas definições que afetam a sua saúde e qualidade de vida, incluindo as ações de cuidado e formulação de políticas;
  • Ampliar o tema do idoso na agenda intersetorial e interinstitucional das políticas de saúde, educação, sociais, do trabalho, cultura e direitos humanos nos diferentes espaços e modos de se viver;
  • Ampliar a oferta de serviços para atenção ao idoso construindo uma rede integrada e articulada que atendam as demandas dos diferentes perfis de idosos;
  • Utilizar a sistematização da assistência como estratégia para qualificar o cuidado de enfermagem a pessoa idosa nos diferentes serviços;
  • Incluir representação da Associação Brasileira de Enfermagem, por meio do Departamento de Enfermagem Gerontológica, no Grupo de Trabalho que discute a formulação da Política Nacional de Cuidados;
  • Proporcionar maior integração com a Rede de Saúde do Adulto Mayor – REDSAM;
  • Efetuar a revisão da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 283/2005 que define normas de funcionamento para as Instituições de Longa Permanência para Idosos;
  • Ampliar o financiamento para construção de uma rede de pesquisas sobre Enfermagem Gerontológica;
  • Incentivar a expansão dos departamentos de enfermagem gerontológica nas sessões e regionais da ABEn;
  • Inovar os projetos pedagógicos com integração teoria e prática e articulação ensino e serviço para uma melhor formação dos profissionais de enfermagem para o cuidado ao idoso, incluindo a formação na modalidade de residência;
  • Ampliar a abordagem de temática do idoso nas diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em enfermagem;
  • Incentivar a formação especializada pós-técnica na área de enfermagem gerontológica;
  • Criar e incorporar tecnologias assistivas nas práticas de saúde e da enfermagem para assegurar o cuidado inclusivo e maior qualidade de vida;
  • Discutir os limites da interface da atuação do cuidador de idosos no conjunto dos trabalhadores da saúde;
  • Induzir políticas e práticas de suporte ao cuidador familiar, incluindo ampliação de programas institucionais;
  • Dar continuidade aos encontros de residentes como parte da programação das Jornadas Brasileiras de Enfermagem Gerontológica;
  • Criar de um programa de qualificação dos preceptores para acompanhamento dos residentes.
  • Proporcionar o reconhecimento do residente enquanto sujeito em formação que requer atenção nos aspectos educativos e psicossociais.

 

Belo Horizonte, 14 de julho de 2017.





JBEG - Jornada Brasileira de Enfermagem Gerontológica
© Todos os direitos reservados a ABEn
Adaltech