Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 17


17

VIVÊNCIA DE ESTÁGIO NA REALIDADE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE E SAÚDE INDÍGENA: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores:
Bruna Paesano Grellmann (brunapaesano@hotmail.com) (UFMT/FAEN) ; Audrey Moura Mota Gerônimo (UFMT/FAEN)

Resumo:
A Vivência de Estágio na Realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) é um projeto do Ministério da Saúde em parceria com a Rede Unida, que possibilita a vivência de acadêmicos e profissionais no SUS, com foco na formação de trabalhadores comprometidos com seus princípios e diretrizes organizativas e doutrinárias. Trata-se de relato de experiência de acadêmicas do Curso de Graduação em Enfermagem da Universidade Federal de Mato Grosso como membro da comissão organizadora do projeto, durante o período de 22 a 29 de outubro de 2016, na cidade de Barra do Garças, Mato Grosso. Nesse período os participantes ficaram alojados no campus da UFMT. Constituiu-se em uma experiência ímpar, permeada por discussões sobre a Rede de Atenção Psicossocial (RAPS), "Como funciona a sociedade", SUS, saúde da população do campo, Sociedade e Capitalismo, preconceito e diversidade sexual. Além das visitas realizadas às instituições de saúde (Pronto Socorro municipal, Centro de Atenção Psicossocial e Estratégia de saúde da família), foi proporcionada uma vivência na aldeia indígena São Marcos, localizada no município de General Carneiro. Os espaços realizados tornaram possível compreender o funcionamento dos serviços de saúde no município e na comunidade indígena. Resultou em novos conhecimentos sobre o que antes era visto com preconceito e receio, tratando-se da saúde indígena principalmente, servindo para desenvolver um olhar mais atento às demandas sociais e profissionais, acumulando maior conhecimento teórico e prático sobre a realidade dos serviços de atenção à saúde. Reforça-se que o papel do VER-SUS é a formação de um profissional que atenda às necessidades da população, reconhecendo o seu papel de agente de transformação social. Atuar na organização dessa vivência proporcionou uma sensibilização emocional enquanto ser humano para se pensar que a realidade pode e deve ser modificada, em que todos devem ter qualidade no atendimento independente de etnia.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Gabinete do Ministro. Portaria n°. 3. 088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 23 de dez. 2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/ prt3088_23_12_2011_rep.html. Acesso em: 20 Nov. 2016. __________. Secretaria de Atenção à Saúde. Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. Acolhimento nas práticas de produção de saúde. 2. ed., 5. reimp. Brasília: Ministério da Saúde, 2010. CANÔNICO, R. P.; BRÊTAS, A. C. P. Significado do Programa Vivência e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde para formação profissional na área de saúde. Acta Paul Enferm., São Paulo, 2008, v. 21, n. 2, p. 256-61. MANGILLI, E. M.; GUIMARÃES, P. R. V,; PEREIRA, L. F.; ANGELONI, L. L.; BONFANTI, M. D. P. VIVER SUS: Vivências e experiências da Enfermagem na Atenção Básica. Revista Iniciação Científica, Criciúma, 2014, v. 12, n. 1, p. 123-93. DESCRITORES: Sistema Único de Saúde, Formação de Trabalhadores, Saúde Indígena.