Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 35


35

Caracterização dos pacientes acometidos por Acidente Vascular Encefálico internados em hospital de alta complexidade

Autores:
Eline Saraiva Silveira Araújo (elinesaraiva@superig.com.br) (Universidade Estadual do Ceará) ; Luara Abreu Vieira (Universidade Estadual do Ceará) ; Luciana Catunda Gomes de Menezes (Faculdade Metropolitana de Fortaleza.) ; Ariane Alves Barros (Universidade Estadual do Ceará) ; Maria Vilani Cavalcante Guedes (Universidade Estadual do Ceará) ; Nádya dos Santos Moura (Universidade Estadual do Ceará)

Resumo:
O Acidente Vascular Encefálico (AVE) é uma doença de grande impacto social, acometendo, principalmente, adultos e idosos. Devido mortes e incapacidades, constitui a primeira causa de mortalidade no Brasil e a segunda no mundo(1). A Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é considerada o principal fator de risco no surgimento de doenças cardiovasculares(2). Objetivou-se caracterizar pacientes com AVE internados em um hospital de alta complexidade. Realizou-se entrevista semiestruturada com pacientes acometidos por AVE internados em uma unidade especializada, em Fortaleza(CE) durante os meses de novembro e dezembro de 2016. Dos 63 pacientes participantes da pesquisa, 43(68,3%) possuíam diagnostico de HAS, em média 5,9 ± 7,1 anos e destes, 32(74,4%) realizavam tratamento com drogas anti-hipertensivas. Dos pacientes que já faziam uso de medicação 16(29,6%) utilizavam Inibidores da Angiotensina 1, 16(29,6%) diuréticos, 12(22,2%) Inibidores da Enzima Conversora de Angiotensina e 10(18,5%) Betabloqueadores. A literatura ressalta a HAS como um dos mais importantes e mais fortemente correlacionados ao AVE, bem como a terapia anti-hipertensiva como capaz de diminuir a morbidade e mortalidade por essa causa(3). Conclui-se que atividades de educação em saúde e manejo adequado da doença pelos enfermeiros em todos os níveis de atenção é uma ferramenta essencial, a fim de minimizar os danos causados pela HAS em virtude das suas complicações.


Referências:
1. Rodrigues ESR, Castro KAB, Rezende AAB, Herrera SDSC, Pereira AM, Takada JAP. Fatores de risco cardiovascular em pacientes com acidente vascular cerebral. Rev Amazônia. 2013;1(2):21-8. 2. Mendonça LBA, Lima FET, Oliveira SKP. Acidente vascular encefálico como complicação da hipertensão arterial: quais são os fatores intervenientes? Esc Anna Nery. 2012;16(2):340-6. 3. Escarcel BW, Muller, MR, Rabuske M. Análise do controle postural de pacientes com AVC Isquêmico próximo a alta hospitalar. Rev. Neurocienc., 2010; 18(4):498-504.