Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 91


91

Significados e experiências da vivência do parto domiciliar planejado e assistido por enfermeira obstétrica

Autores:
Maria Aparecida Baggio (mariabaggio@yahoo.com.br) (Universidade Estadual do Oeste do Paraná) ; Camila Girardi (Universidade Estadual do Oeste do Paraná)

Resumo:
Introdução: O avanço da obstetrícia institucionalizou o parto, possibilitou melhoria dos indicadores de morbimortalidade materna e perinatais, mas expôs mulheres e recém-nascidos a intervenções desnecessárias, que desconsideram aspectos emocionais, humanos, culturais, bem como a particularidade de cada mulher e família (BRASIL, 2016). Objetivo: Compreender os significados e experiências de mulheres que vivenciaram o processo de parto domiciliar assistido por enfermeira obstétrica. Metodologia: Estudo qualitativo, exploratório, descritivo. Foram participantes mulheres que vivenciaram parto domiciliar planejado e assistido por Enfermeira Obstétrica, no município de Cascavel, Paraná. A coleta dos dados ocorreu por meio de entrevista, com roteiro semiestruturado, de junho a agosto de 2016. A análise dos dados foi guiada pela técnica de análise conteúdo (MINAYO, 2010). Resultados: As mulheres eram, em sua maioria, casadas; possuíam ensino superior completo e renda familiar superior a cinco salários mínimos. Foram motivações para o parto domiciliar haver grupo de enfermeiras obstétricas/ parteiras urbanas no município, as mulheres serem esclarecidas e terem experiência anterior de violência obstétrica; A família mostrou-se coparticipante desde a escolha pelo parto domiciliar até o nascimento; A Doula revela-se facilitadora e promotora de conforto e calma; A experiência de parir tem significado de renovação, vitória e libertação; O ambiente domiciliar emerge como possibilitador de segurança, tranquilidade, autonomia e bem-estar; A atuação da enfermeira obstétrica é promotora de cuidado, segurança e confiança, significada como respeitosa e incentivadora do protagonismo da mulher. Conclusões O domicílio foi considerado cenário seguro para as mulheres serem protagonistas do seu parto, livre de intervenções e de escolhas que não a da mulher e da família; promotor da vivência do parto natural. Contribuições ou implicações para a Enfermagem: A atuação de enfermeiras obstétricas urbanas pode ser considerada uma força motriz de transformação social, que assegura o respeito às escolhas da mulher e da família que deseja o parto natural.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde. Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS. Diretrizes Nacionais de Assistência ao Parto Normal. Brasília, 2016. MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 12. ed. São Paulo: Hucitec, 2010.