Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 97


97

RASTREIO DO USO DE SUBSTÂNCIAS PSICOATIVAS EM ADOLESCENTES

Autores:
Maria de Nazaré de Soza Ribeiro (mnribeiro2@gmail.com) (Universidade do Estado do Amazonas) ; Cleisiane Xavier Diniz (Universidade do Estado do Amazonas) ; Selma Barboza Perdomo (Universidade do Estado do Amazonas) ; Joaquim Hudson de Souza Ribeiro (Faculdade Salesiana Dom Bosco) ; Orlando Gonçalves Barbosa (Faculdade Salesiana Dom Bosco) ; Michel dos Santos Domingos (Universidade do Estado do Amazonas)

Resumo:
Introdução: a Organização Mundial de Saúde (OMS) considera o uso de drogas uma doença crônica difícil de ser tratada, que provoca graves e sérios problemas de saúde, independente de idade ou sexo. O uso abusivo de drogas é considerado um problema social e de saúde pública em muitos países e é no período da adolescência que ocorre a associação e início do uso dessas substâncias. Objetivo: detectar o uso de substâncias psicoativas em adolescentes na faixa de 11 a 14 anos. Metodologia: trata-se de um estudo transversal, descritivo, de base populacional, com amostra de 100 adolescentes (50 meninos e 50 meninas), de 11 a 14 anos, participantes de grupos de Adolescentes da Pastoral de Adolescente em Manaus, Amazonas. Utilizou-se o questionário Drug Use Screening Inventory. O projeto seguiu todos os trâmites éticos. Resultados: os analgésicos não prescritos (23%) e o álcool (17%) foram as drogas mais utilizadas pelos adolescentes. No entanto, houve ocorrência de uso de inalantes (5%), tranquilizantes (3%) anabolizantes (2%) e tabaco (2%). As substancias mais utilizadas foram o analgésico não prescrito e álcool (mais consumido pelas meninas). Não houve ocorrência de uso de cocaína, maconha, crack, ecstasy etc. Nos casos identificados, os adolescentes foram encaminhados para abordagem terapêutica com psicólogos do projeto, a fim de prevenir dependência e distúrbios advindos do uso continuado. Ao fazerem uso dessas substâncias, os adolescentes comprometem sua estabilidade física, psicológica e social empobrecendo suas relações, principalmente com a familiar. Conclusão e Implicações: As drogas se proliferam cada vez mais nos grandes centros, atingido cada vez mais cedo crianças e adolescentes, sendo o álcool a porta de entrada. A redução desse quadro se dará pela prevenção ou identificação precoce do uso dessas substâncias. Faz-se necessários estudos que possam subsidiar o desenvolvimento de políticas de educação e promoção da saúde dirigidos a adolescentes.


Referências:
Andretta L, Oliveira MS. A entrevista motivacional em adolescentes usuários de droga que cometeram ato infracional. Psicol. Reflex. Crit., 2011, 24(2), 218-226. Lima PH, Braga BAV, Marinho MA. Rede de apoio social ao alcoolista: mapeamento baseado nas ações intersetoriais de alcoólicos anônimos. Revista Rene. 2012; 12 (1):33-40. Malbergier A, Cardoso LRD, Amaral RA. Uso de substâncias na adolescência e problemas familiares. Cad. Saúde Pública. 2012; 28(4):678-688.