Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 128


128

Consulta de enfermagem com paciente vivendo com HIV/Aids em seguimento ambulatorial

Autores:
Rúbia Aguiar Alencar (rubia@fmb.unesp.br) (Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Medicina de Botucatu - Departamento de Enfermagem) ; Ana Beatriz Henrique Parenti (Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Medicina de Botucatu - Departamento de Enfermagem) ; Camila de Carvalho Lopes (Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Medicina de Botucatu - Departamento de Enfermagem) ; Mariana Alice de Oliveira Ignácio (Universidade Estadual Paulista - Faculdade de Medicina de Botucatu - Departamento de Enfermagem)

Resumo:
Este estudo teve por objetivo identificar os Diagnósticos de Enfermagem (DE) e seus domínios em pacientes vivendo com HIV/aids (PVHA) na assistência ambulatorial, assim como, as principais intervenções de enfermagem. Estudo transversal realizado com PVHA, maiores de 18 anos, de ambos os sexos e que frequentaram o serviço ambulatorial especializado de outubro de 2013 a setembro de 2016. Os dados foram coletados durante as CE e após foram formulados os DE, que seguiu o processo de adequação da nomeação apoiado na taxonomia da NANDA-I 2012-2014. Estudo aprovado por comitê de ética. Participaram do estudo 114 PVHA sendo 63 homens (55,3%) com média de idade de 42,21 anos, 57% não realizaram o ensino médio completo. A maioria (74,5%) relatou ser heterossexual, 85,9% se infectaram pela via sexual. O tempo médio de diagnóstico foi de aproximadamente 8 anos. Encontrou-se 59 DE, destacando-se 6 diagnósticos mais frequentes: risco de infecção (61,4%), comportamento de saúde propenso a risco (48,2%), estilo de vida sedentário (35,1%), disposição para autocontrole da saúde melhorado (28,1%), nutrição desequilibrada menos do que as necessidades corporais (21,9%), conhecimento deficiente (17,5%). Esses diagnósticos pertencem aos Domínios: promoção da saúde (controle de saúde, consciência da saúde), segurança/proteção (classe infecção), atividade/repouso (classe sono/repouso, autocuidado), nutrição (classe ingestão), percepção/cognição (classe cognição) e sexualidade (classe função sexual). As principais intervenções de enfermagem foram: orientações sobre uso consiste do preservativo (85,9%), manter uso dos antirretrovirais (70,1%), esclarecimentos sobre dúvidas em relação ao HIV/aids (47,4%) até encaminhamentos para odontologista (8,7%) e para realização do Papanicolau (28,1%). Os DE encontrados refletiram as principais necessidades de saúde dos PVHA e suscitaram a formulação de cuidados de enfermagem específicos para esses indivíduos. Através da promoção de saúde é possível empoderar os pacientes a participar mais ativamente do seu autocuidado e ser ativo nas decisões, no planejamento e na manutenção do seu tratamento e autocuidado.


Referências:
1. OREM, D.E. Nursing: concepts of practice. New York: McGraw-Hill; [s.n.] 1995. 2. Caetano JA, Pagliuca LMF. Autocuidado e o portador do HIV/AIDS: sistematização da assistência de enfermagem. Rev Latino-Am Enfermagem. 2006;14(3):336-45.