Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 139


139

A ENFERMAGEM DIANTE DA FAMÍLIA DOADORA DE ÓRGÃOS E TECIDOS - ANÁLISE PÓSTUMA DO PROCESSO DE RESILIÊNCIA

Autores:
Verônica Alves Campos (campos.vel0@gmail.com) (Universidade Federal da Bahia) ; Caio Lopes Santos (Universidade Federal da Bahia) ; Emanuele Caires Dias Araujo Nunes (Universidade Federal da Bahia)

Resumo:
Introdução. A proposta deste estudo consistiu em desvelar a resiliência da família doadora de órgãos e tecidos do ente querido em morte encefálica (ME). A temática é relevante no contexto de atuação do enfermeiro por ser ele um profissional capaz de contribuir com o melhor enfrentamento familiar frente a difícil situação de perda e luto vivenciada. Objetivo. Desvelar a resiliência familiar após a doação de órgãos e tecidos de um familiar. Método. Trata-se de pesquisa qualitativa, descritivo-exploratória realizada com 10 familiares no interior baiano. A coleta foi realizada nos domicílios dos familiares através de entrevista semiestruturada e técnica do desenho-texto-tema, ponderadas por análise interativa de conteúdo. Os resultados evidenciaram três categorias: a miríade de sentimentos frente à perda - significados e concepções; o enlace entre as fontes de apoio como fatores de proteção da família enlutada - a busca do bem estar frente à adversidade; e resiliência ao compartilhar a vida - sobreviver às perdas. Conclusão. O estudo alcançou seu objetivo ao desvelar a presença de resiliência familiar. A doação de órgãos e tecidos para transplantes foi eleita como uma forma altruísta de transformar morte em vida por meio de um consentimento que trouxe bem-estar aos entes. Implicações para a Enfermagem. Observa-se a importância da enfermagem na construção desta resiliência, a partir de uma atuação continuada, vincular e cuidadosa. Descritores: doação de órgãos, família, resiliência.


Referências:
1. MINUCHIN, P. et al . A estrutura- uma orientação sistêmica e uma abordagem centrada na familia. In: O desafio de trabalhar com famílias de alto risco social: uma abordagem sistêmica. São Paulo, ed. Rocca, 2011.