Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 143


143

A PARTICIPAÇÃO DA FAMÍLIA COMO CUIDADORA NO OLHAR DO USUÁRIO DE CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL

Autores:
Willams Henrique da Costa Maynart (willamshcmaynart@hotmail.com) (Universidade Federal de Alagoas) ; Maria Cicera dos Santos de Albuquerque (Universidade Federal de Alagoas) ; Darlan dos Santos Damásio Silva (Universidade Federal de Alagoas) ; Flaviane Maria Pereira Belo (Universidade Federal de Alagoas) ; Adnez Regina Tertuliano da Silva Cassimiro (Universidade Federal de Alagoas) ; Luis Filipe Dias Bezerra (Universidade Federal de Alagoas)

Resumo:
Introdução: O cuidado em saúde mental sofreu diversas transformações, dentre elas, a valorização da família (BRASIL, 2013). Torna-se necessário que a família se perceba parte do serviço e compreenda o contexto psicossocial (LIMA; AGUIAR; SOUSA, 2015). Objetivo: Identificar a participação da família como cuidadora no olhar do usuário do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). Metodologia: Recorte da pesquisa qualitativa "O acolhimento a pessoa em sofrimento mental realizado em um Centro de Atenção Psicossocial: a singularidade da escuta qualificada", edital PPSUS 01/2008-2009 FAPEAL. Participantes oito usuários, local do estudo foi um CAPS de Maceió. Coleta de dados por triangulação - entrevista semi-estruturada/diário de campo/observação. Resultados: Categorias temáticas - 1.Afastamento de familiares durante processo de sofrimento mental acentuado; 2.Baixa frequência ou ausência da família no CAPS sentida pelo usuário; 3.Desconhecimento da família sobre transtorno mental interfere no relacionamento intrafamiliar. Conclusões: formas de reagir do familiar aos agravamentos do adoecimento acontecem diferentemente do habitual. Ausência nas reuniões de família, pouca presença no CAPS e não entendimento do familiar sobre o processo de adoecimento se apresentam para o usuário como descuido. Contribuições ou implicações para a Enfermagem: Novas sinalizações são fornecidas ao cuidar de enfermagem em saúde mental, para a interação com a família que redunde em uma maior participação da mesma no cuidado ao usuário. Descritores: Família, Serviços de Saúde Mental, Cuidados de Enfermagem.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde mental/Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica - Brasília: Ministério da Saúde, 2013. 176 p.: il. (Cadernos de Atenção Básica, n. 34). LIMA, M.S; AGUIAR, A.C.L; SOUSA, M.M. o cuidado compartilhado em saúde mental como potencial de autonomia do usuário. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 20, n. 4 p. 675-686, out./dez. 2015. Disponível em: < http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/28309/pdfhttp://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/PsicolEstud/article/view/28309/pdf_1>. Acesso em 23 mai. 2017.