Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 148


148

Conhecimento, atitude e prática dos profissionais de enfermagem sobre medidas de biossegurança da tuberculose.

Autores:
Adriana Sávia de Souza Araújo (adrianasavia@yahoo.com.br) (Centro Universitário UNINOVAFAPI) ; Roberto Wagner Júnior Freire de Freitas (Fundação Oswaldo Cruz) ; Telma Maria Evangelista de Araújo (Universidade Federal do Piauí) ; Ana Roberta Vilarouca da Silva (Universidade Federal do Piauí)

Resumo:
Conhecimento, atitude e prática dos profissionais de enfermagem sobre medidas de biossegurança da tuberculose. Introdução: A tuberculose, pelas graves implicações sociais que acarreta, constitui-se em um grave problema de saúde pública e pode estar relacionada ao trabalho. A vulnerabilidade ao adoecimento está relacionada ao conhecimento sobre a doença, às medidas de prevenção e de biossegurança, diagnóstico e transmissão da doença. Objetivo: Analisar o conhecimento, atitude e prática dos profissionais de enfermagem relacionados com as medidas de biossegurança da tuberculose na estratégia saúde da família (ESF). Metodologia: Estudo analítico com 158 profissionais de enfermagem. A coleta de dados aconteceu de janeiro a abril de 2016, por meio de questionário adaptado do modelo de inquérito Conhecimento, Atitudes e Práticas - Tuberculose. Foram utilizados os testes qui-quadrado de Pearson e razão de prevalência. Resultados: Predominou a faixa etária de 31- 40 anos (33,5%) e o sexo feminino (93,7%), sendo 83 (52,5%) enfermeiros; 81 (51,9%) referiram participação em capacitação para tuberculose. A análise da associação entre conhecimento, atitude e prática adequada dos profissionais de enfermagem demonstrou que, o profissional que não tem conhecimento adequado está mais propenso a adotar práticas inadequadas. Conclusão: Com vistas à redução da exposição dos profissionais aos riscos oriundos da sua atividade laboral, é imprescindível reforçar, através de educação permanente e continuada, a importância da biossegurança para a garantia de práticas seguras no ambiente de trabalho que protejam a si mesmos e aos pacientes. Implicações para Enfermagem: Há relevância em estudar o conhecimento, a atitude e a prática, uma vez que a tuberculose é sensível à ação dos profissionais, o que é vantagem para a sociedade e uma grande responsabilidade para a massa trabalhadora da saúde. Portanto, os profissionais de enfermagem devem estar qualificados para fazer o atendimento e acompanhamento ao doente, adotando comportamento seguro sem comprometer sua saúde.


Referências:
1. Costa MCP, Taminato M, Silva V, Grande AJ, Beretta ALRZ. A biossegurança durante os cuidados de enfermagem aos pacientes com tuberculose pulmonar. Acta paul. enferm. [Internet]. 2013 [citado 2017 jan. 15]; 26(4): 307-12. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002013000400002&lng=pt. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002013000400002. 2. Mussi TVF, Traldi MC, Talarico JNS. Knowledge as a factor in vulnerability to tuberculosis among nursing students and professionalsEl conocimiento como factor de vulnerabilidad a la tuberculosis entre estudiantes y profesionales de enfermería. Rev. esc. enferm. USP [Internet]. 2012 June [cited 2016 July 16] ; 46( 3 ): 696-703. Available from: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0080-62342012000300023&lng=en. http://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342012000300023.89. 3. Rodrigues LMCR, Silva CCS, Silva VKBA, Martiniano CS, Silva ACO, Martins MO. Riscos Ocupacionais: percepção de profissionais de enfermagem da estratégia saúde da família em João Pessoa - PB. Rev. bras. ciênc. saude. São Caetano do Sul, 2012 [citado 2016 jul. 09]; 16(3):325-3. Disponível: http://periodicos.ufpb.br/ojs2/index.php/rbcs/article/view/12660/7871. 4. Silva Sobrinho RA, Souza AL, Wysocki AD, Silva LMC, Beraldo AA, Villa TCS. Conhecimento de enfermeiros de unidades de atenção básica acerca da tuberculose. Cogitare enfermagem, Paraná, 2014 [citado 2016 jul. 19.]; 19(1): 34-40. Disponível em: .doi:http://dx.doi.org/10.5380/ce.v19i1.35930. 5. Valle ARMC, Moura MEB, Nunes BMVT, Figueiredo MLF. A biossegurança sob o olhar de enfermeiros. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro, 2012 [citado 2016 jul. 16]; 20(3):361-7. Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/enfermagemuerj/article/view/4108/2884