Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 155


155

CARACTERÍSTICAS DAS CAUSAS E DO TEMPO DE PERMANÊNCIA DE INTERNAÇÕES DE IDOSOS POR CONDIÇÕES SENSÍVEIS À ATENÇÃO PRIMÁRIA NO ESTADO DE SANTA CATARINA

Autores:
Angela Maria Alvarez (angela.alvarez@ufsc.br) (Departamento de Enfermagem - Universidade Federal de Santa Catarina) ; Mayara Marta Rodrigues (Faculdade de Santa Catarina) ; Keila Cristina Rauch (Universidade do Sul de Santa Catarina)

Resumo:
O estudo das internações por condições sensíveis a atenção primária produz indicadores importantes da qualidade da assistência à saúde e peculiarmente em idosos. Objetivo: Analisar o comportamento das causas e tempo de permanência das internações de idosos por condições sensíveis à atenção primária no Estado de Santa Catarina no período entre 2008 e 2015. Método: Estudo ecológico de série temporal, com dados do Sistema de Informação Hospitalar do SUS, utilizando as autorizações de internações hospitalares, no período de 2008 a 2015, em Santa Catarina. Foram realizadas a padronização dos dados por idade através do método direto e a análise estatística por meio de regressão linear segmentada (joinpoint regression). Resultado: Asma, doença pulmonar obstrutiva crônica e insuficiência cardíaca apresentaram queda de variação no período do estudo, já as infecções de ouvido nariz e garganta, pneumonias bacterianas e angina obtiveram aumento. Encontrou-se diminuição da variação do período de permanência hospitalar de até sete dias e aumento significativo do tempo de internação entre 15 e 30 dias. As doenças cerebrovasculares foram as principais responsáveis pelas internações com tempo de permanência acima de 15 dias, seguidas pela insuficiência cardíaca, angina e DPOC. Considerações finais: O aumento do tempo de permanência hospitalar traz implicações negativas na vida do idoso, sua família e para o sistema de saúde. Implicações para a enfermagem: Investir em medidas oportunas da atenção primária é uma forma de prevenir as hospitalizações para os idosos, o que significa estender o tempo de vida com qualidade e evitar as limitações da perda de capacidade funcional, a qual está relacionada à internação.


Referências:
ALFRADIQUE, Maria Elmira et al. Internações por condições sensíveis à atenção primária: a construção da lista brasileira como ferramenta para medir o desempenho do sistema de saúde (Projeto ICSAP - Brasil). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 25, n. 6, p. 1337-1349, jun. 2009. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/csp/v25n6/16.pdf>. Acesso em: 11 nov. 2016. AVELINO, Carolina Costa Valcanti et al . Qualidade da atenção primária à saúde: uma análise segundo as internações evitáveis em um município de Minas Gerais, Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 20, n. 4, p. 1285-1293, abr. 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2016. BOING, Antonio Fernando et al. Redução das internações por condições sensíveis à atenção primária no brasil entre 1998-2009. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 2, p. 359-366, abr. 2012. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2016. BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 221, de 17 de abril de 2008, que define a Lista Brasileira de Internações por Condições Sensíveis à Atenção Primária. Diário Oficial da União, Brasília, DF, n. 75, 18 abr. 2008, p. 70. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2016. ELIAS, Evelyn; MAGAJEWSKI, Flávio. A atenção primária à saúde no sul de Santa Catarina: uma análise das internações por condições sensíveis à atenção ambulatorial, no período de 1999 a 2004. Rev Bras Epidemiol, São Paulo, v. 11, n. 4, p. 633-647, dez. 2008. Disponível em: . Acesso em: 11 nov. 2016.