Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 172


172

SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE DE LAGARTO - SE

Autores:
Dimas Cleofas Machado dos Reis (dimas_cleofas@yahoo.com.br) (UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE) ; Fernanda Barbosa Pereira (UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE) ; Cátia Maria Justo (UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE) ; Larissa Noleto Isidoro (UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE) ; Rafael Norio Makibara (UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE)

Resumo:
INTRODUÇÃO: A Síndrome de Burnout (SB) é uma afecção relacionada a ocupações que lidam com pessoas. Caracteriza-se por altos níveis de exaustão emocional (EE) e cinismo (CI), e baixos níveis de Eficácia no trabalho (ET). OBJETIVOS: Caracterizar a SB em profissionais de enfermagem de atenção básica em saúde do município de Lagarto, situado no estado de Sergipe, nordeste do Brasil, bem como investigar os níveis de EE, CI e ET nestes trabalhadores. MÉTODOS: Estudo transversal, descritivo, analítico, observacional e exploratório, que se utilizou de questionário sociodemográfico, profissional e de lazer, além do questionário Maslash Burnout Inventory - General Survey (MBI-GS) para identificação da SB e suas dimensões de EE, CI e ET. RESULTADOS: Foram entrevistados 35 profissionais de 9 Unidades Básicas de Saúde (UBS), sendo destas, 4 urbanas e 5 rurais. Quanto a ocupação, 2,8% foram auxiliares de enfermagem, 65,7% técnicos de enfermagem e 34,2% ocupavam cargo de enfermeiro. Do total, 2,8% apresentou nível alto de Burnout, 22,8% apresentou nível moderado e 74,2%, níveis baixos para SB. Os números de ET foram considerados satisfatórios, uma vez que não se observou nível baixo deste determinante e que apenas 8,5% mostraram níveis moderados para ET. Os números encontrados para cinismo demonstraram moderada interferência no aparecimento de SB, pois apresentou-se com 85% de níveis baixos, 11,4% em níveis moderados e 2,8% como alto. A dimensão que apresentou maior influência na SB foi a EE, considerado alta em 20% da amostra, moderado em 28,5% e baixo nos restantes 51,4%. CONCLUSÃO: A atenção primária de saúde apresentou baixos níveis de SB para profissionais de enfermagem quando comparados com outros estudos da SB em trabalhadores de outro nível de atenção em saúde. Entretanto, foi relevante o número de exaustão emocional encontrado, o que aponta a necessidade de intervenções, acerca de prevenção e tratamento, nestes profissionais.


Referências:
BORGES, L. O. et al. A Síndrome de Burnout e os Valores Organizacionais: Um Estudo Comparativo em Hospitais Universitários. Psicologia: Reflexão e Crítica, v.15, n.1, p.189-200, 2002. CARLOTTO, M. S; CÂMARA, S. M. Analise da produção cientifica sobre a Síndrome de Burnout no Brasil. Revista Psico PUCRS, v.39, n.2, p.152-158, Abr/Jun, 2008. CAVALCANTE, Z. V; SILVA, M. L. S, A importância da revolução industrial no mundo da tecnologia. VII Encontro internacional de Produção cientifica, Outubro, 2011. DALFOVO, Michael Samir; LANA, Rogério Adilson; SILVEIRA, Amélia. Métodos quantitativos e qualitativos: um resgate teórico. Revista Interdisciplinar Científica Aplicada. Blumenau.v.2, n.4, p.01-13, Sem II. 2008. DATASUS, http://cnes2.datasus.gov.br/Mod_Profissional.asp?VCo_Unidade=2803506568343 . Acessado em 21 de maio de 2016. EZAÍAS, G.M. et al. Síndrome de Burnout em trabalhadores de saúde em um hospital de média complexidade. Rev. enferm. UERJ, Rio de Janeiro; v.18, n.4, p.524-529, out/dez, 2010. GALINDO, R. H. et al. Síndrome de Burnout entre enfermeiros de um hospital geral da cidade do Recife. Revista da Escola de Enfermagem USP, v.46, n.02, p.420-427, 2012. HARRISON, B. J. Are you to burnout?.Fund raising manage, v.30, p.25-28, 1999. JODAS, D.A, HADDAD, M.C.L. Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um pronto socorro de hospital universitário. Acta Paul Enferm. v.22, n.2, p.192-197, 2009. LIMA, F. D. et al. Síndrome de Burnout em Residentes da Universidade Federal de Uberlândia - 2004. Revista Brasileira de Educação Médica, v.31, n.02, p.137-146, mar 2007. MCLAURINE, W. D. A Correlational Study of Job Burnout and Organizational Commitment Among Correctional Officers. School of Psychology: Capella University 2008. MOREIRA, D.S. et al. Prevalência da Síndrome de Burnout em trabalhadores de enfermagem de um hospital de grande porte da Região Sul do Brasil. Caderno de Saúde Pública, v. 5, n. 07, pág 1559-1568, jun 2009. MORESI, Eduardo. Metodologia da Pesquisa. Brasília, 2003. Disponível em: http://www.inf.ufes.br/~falbo/files/MetodologiaPesquisa-Moresi2003.pdf Acesso em 16 de janeiro de 2016. SCHAUFELI, W. B.; GREENGLASS, E. R. Introduction to special issue on burnout and health. Psychology & Health, v. 16, n. 5, p. 501-510, 2001. SCHUSTER, M.D.S. et al. MBI-GS: Aplicação e verificação psicométrica na realidade brasileira. R. Adm. FACES Journal Belo Horizonte, v. 13, n. 4, pág 26-38, out-dez 2014. SERGIPE. Fundação Estadual de Saúde - FUNESA. Atenção Hospitalar no Estado de Sergipe Saberes e tecnologias para implantação de uma política. Livro do Aprendiz, 1ª Edição, EditoraFundação Estadual de Saúde- FUNESA Aracajú, 2011. Disponível em http://www5.ensp.fiocruz.br/biblioteca/dados/txt_689744943.pdf . Acesso em 10 de fevereiro de 2016. SERRALHEIRO, F.C. et al. Prevalência da síndrome de Burnout em anestesiologistas de instituição de Ensino Superior em Medicina. Arquivo Brasileiro de Ciências da Saúde, v.36, n,3, p.140-143, Set/Dez 2011. SILVEIRA, S.L.M.S,; CÂMARA, S.G.; AMAZARRAY, M.R. Preditores da Síndrome de Burnout em profissionais da saúde na atenção básica de Porto Alegre/RS. Caderno de Saúde Coletiva, vol 22, n.4, p. 386-392, 2014. ROUQUAYROL, M. Z.; ALMEIDA FILHO, N. Epidemiologia e Saúde. 3. ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan; 2003,736p. TRIGO, T. R. et al. Síndrome de Burnout ou estafa profissional e os transtornos psiquiátricos. Revista de Psiquiatria Clínica, v.34, n.5, p.223-233, 2007.