Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 176


176

A Trajetória Curricular da Graduação em Enfermagem no Brasil

Autores:
Évelly Moana Martins Mendes (moana.m.mendes@gmail.com) (Cesmac Faculdade do Sertão) ; Ana Paula Ramos da Silva Duarte (Cesmac Faculdade do Sertão) ; Maria Vasconcelos (Universidade Federal de Alagoas) ; Sóstenes Vicente Silva (Universidade Federal de Alagoas) ; Alayde Ricardo da Silva (Cesmac Faculdade do Sertão) ; Rudja Maria Leite de Abreu (Cesmac Faculdade do Sertão)

Resumo:
Esta pesquisa delineou a trajetória curricular da graduação em enfermagem brasileira, questionando como se constituíram as propostas curriculares, considerando os aspectos históricos, sociais, ideológicos, éticos e legais da profissão e estabelecendo nexos entre o processo inicial da formação e a atividade profissional nesse início de século. Realizou-se uma pesquisa documental, enquanto uma modalidade da pesquisa qualitativa, nos documentos que compõem as bases legais da formação em enfermagem, no Brasil, no período entre 1890 e 2009. Os documentos formaram uma matriz em ordem cronológica e foram submetidos a análise de conteúdo. Esta matriz originou uma outra, que filtrou especificamente o desenvolvimento curricular da enfermagem. Constatou-se que em todas as mudanças curriculares no ensino da graduação em enfermagem no Brasil predomina o modelo médico/hospitalar. A legislação sobre o ensino de enfermagem desde a criação da Escola Anna Nery, revela que a formação do enfermeiro era centrada no polo indivíduo/doença/cura e na assistência hospitalar, seguindo o mercado de trabalho específico de cada época, pois a orientação curricular se propõe a formar trabalhadores alinhados com as demandas específicas de saúde, em determinados contextos históricos. Descritores: Currículo. Formação Profissional. Enfermagem - Brasil.


Referências:
Bardin, L. (2010). Análise de conteúdo. (L. A. Reto & A. Pinheiro, trads.). São Paulo, SP: Edições 70. Brasil. (1962). Parecer n. 271/62, de 19 de outubro de 1962. Dispõe sobre o currículo mínimo do curso de enfermagem. In Brasil. Ministério da Saúde. Fundação Serviços de Saúde Pública. Brasília, DF: MEC. Garcia, T. R; Chianca, T.C. M. & Moreira, A. S. P. (1995). Retrospectiva histórica do ensino de enfermagem no Brasil. Revista Gaúcha de Enfermagem, 16(1/2): 74-81. Germano, R. M. (2007). Educação e ideologia da Enfermagem no Brasil - 1955-1980. 2ª ed. São Caetano do Sul, SP: Yendis. Martins, J., Opitz, S., Évora, Y., Fávero, N., & Trevisan, M. (2003). Transformações históricas na assistência de enfermagem. Rev. Enfermagem Atual, n. 16, Ano 3, 20-28.