Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 205


205

Avaliação do conhecimento de acadêmicos de enfermagem sobre lesões vasculogênicas

Autores:
Lariza Martins Falcão (lariza@ufpi.edu.br) (Universidade Federal do Piauí) ; Raísa Leocádio Oliveira (Universidade Federal do Piauí) ; Raylane da Silva Machado (Universidade Federal do Piauí) ; Elaine Cristina Carvalho Moura (Universidade Federal do Piauí) ; Fernanda Valéria Silva Dantas Avelino (Universidade Federal do Piauí) ; Grazielle Roberta Freitas da Silva (Universidade Federal do Piauí)

Resumo:
Introdução: As lesões vasculogênicas, também conhecidas como lesão da perna, são consideradas feridas crônicas por serem de longa duração com lento processo de cicatrização. São descritas como lesões de processo crônico, dolorosa, periódica e que causam impacto negativo na qualidade de vida. O diagnóstico correto é essencial para que medidas terapêuticas adequadas específicas sejam adotadas, e este depende diretamente do conhecimento dos profissionais. Objetivo: avaliar o conhecimento de acadêmicos de enfermagem sobre lesões vasculogênicas. Métodos: estudo transversal, descritivo, realizado em quatro instituições de educação superior, sendo duas públicas e duas particulares. Aplicou-se um questionário para 106 acadêmicos de enfermagem do penúltimo semestre do curso, o qual foi composto por variáveis, como: situação escolar, contato prévio e conhecimento dos alunos sobre a temática. Resultados: a média de acertos sobre as características de lesões vasculogênicas foi superior entre acadêmicos de instituições públicas (33,0%), entre os que referiam ter prestado assistência de enfermagem a pacientes com essas lesões (37,7%) e os que alegaram saber diferenciar lesões venosas de lesões arteriais (25,5%). A maior quantidade de acertos sobre as lesões venosas estava relacionada à coloração em região perilesão (74,5%); e nas lesões arteriais, a hábitos e doenças de base (67,0%). E os maiores erros estavam relacionados ao tratamento, tanto nas lesões venosas (94,3%) como nas lesões arteriais (84,9%). Conclusão: Ficou comprovado estatisticamente que os alunos que realizaram assistência de enfermagem durante a graduação a paciente com lesões vasculogênicas possuíam maior conhecimento sobre lesões vasculogênicas quando comparados aos que não tiveram esta oportunidade, sendo as lesões vasculogências venosas com maior número de acertos. Contribuição para a enfermagem: Com base nos resultados apresentados, o qual constatou lacunas no que diz respeito às lesões vasculogênicas, espera-se que este estudo possa servir de reflexão sobre a abordagem da referida temática no decorrer do curso de graduação de Enfermagem.


Referências:
BARATIERE, T.; SANGALETI, C.T.; TRINCAUS, M.R. Conhecimento de acadêmicos de enfermagem sobre avaliação e tratamento de feridas. Rev Enferm Atenção Saúde, v.4, n.1, 2015, p.2-15. BRITO, C.K.D.; NOTTINGHAM, I.C.; VICTOR, J.F.; FEITOZA, S.M.S.; SILVA, M.G.; AMARAL, H.E.G. Úlceras venosas: ensaio clínico, diretrizes e cuidados com curativos. Rev Rene, v.14, n.3, 2013, p.470-80. DANTAS, D.V. et al. Protocolo de assistência a pessoas com úlceras venosas: validação de conteúdo. Rev Rene, v.14, n.3, 2013, p.588-99. MOURA, E.C.C.; SILVA, G.R.F. Promoção integral do cuidado a pacientes com feridas: protocolos assistenciais e evidências clínicas. Teresina: EDUFPI, 2012. 96p.