Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 213


213

ANSIEDADE, ESTRESSE, DEPRESSÃO E USO DE DROGAS ENTRE TRABALHADORES DE ENFERMAGEM NO AMBIENTE HOSPITALAR

Autores:
Maria Cristina de Moura Ferreira (mcmferreira@yahoo.com.br) (Universidade Federal de Uberlândia - UFU Uberlândia - MG) ; Durval Veloso da Silva (Universidade Federal de Uberlândia - UFU Uberlândia - MG) ; Marcelle Aparecida de Barros Junqueira (Universidade Federal de Uberlândia - UFU Uberlândia - MG) ; Sandra Cristina Pillon (EERP - USP Ribeirão Preto - SP)

Resumo:
INTRODUÇÃO: As atividades de Enfermagem no ambiente hospitalar apresentam um cenário de práticas conflituosas e competitivas, em um ambiente de trabalho com deficiência de infraestrutura, carga horária exaustiva, baixa remuneração, e o lidar com o sofrimento do outro e, muitas vezes, com a morte. OBJETIVOS: Analisar os níveis de problemas de saúde mental, como estresse, ansiedade e depressão, associados ao uso de álcool e outras drogas entre profissionais de enfermagem do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia. METODOLOGIA: Pesquisa quantitativa, descritiva, transversal; utilizados os questionários ASSIST, para triagem do uso de drogas, e o DASS, que avalia sintomas de depressão, estresse e ansiedade; houve utilização de estatística descritiva e exploratória. O nível de significância estabelecido foi de p>0,005. RESULTADOS: A população do estudo foi de 1.152 trabalhadores, com uma amostra de 416 participantes. Houve predominância do sexo feminino (85,2%), casadas (69,5%), católicas (44,1%), entre 20 e 39 anos (60,2%), e exercício profissional de 6 e 10 anos (22,1%). Evidenciou-se risco para o uso de álcool em 6,7% dos participantes e uso em binge em 36,1%, sendo que 5,3% fazem uso de risco para o tabaco; 27,4% dos participantes apresentaram algum nível de depressão, 25,7% de estresse e 28,4% de ansiedade. Foram encontradas correlações positivas entre as características sociodemográficas e o uso de álcool e outras drogas, bem como com a depressão, a ansiedade e o estresse. Houve correlação positiva entre o nível de sintomas dos três transtornos mentais, entre o uso de álcool e de sedativos com a depressão; estresse e ansiedade; e do uso de álcool com outras drogas. CONCLUSÃO: O acompanhamento das condições de saúde mental nos trabalhadores de Enfermagem é imprescindível, uma vez que depressão, estresse e ansiedade aparecem juntas e estão ligadas ao uso de álcool e outras drogas. Palavras-chave: Enfermagem. Trabalho. Saúde.


Referências:
EPISTEIN, P. M.; BURNS, C.; CONLON, H. A. Substance Abuse Among Registered Nurses. AAOHN Journal, v. 58, n. 12, p. 513-516, 2010 MARTINS, E. R. C.; ZEITOUNE, R. C. G.. As condições de trabalho como fator desencadeador do uso de substâncias psicoativas pelos trabalhadores de enfermagem. Esc Anna Nery Rev Enferm, v. 11, n. 4, p. 639-44, 2007. SCHMIDT, D. R. C.; DANTAS, R. A. S.; MARZIALE, M. H. P. Ansiedad y depresión entre profesionales de enfermería que actúan en sectores quirúrgicos. Rev. esc. enferm. USP, v. 45, n. 2, 2011. VIGNOLA, R.C.B.; TUCCI, M. C. Adaptation and validation of the depression, anxiety and stress sacale (DASS) to Brazilian Portuguese. Journal Affective Desorders. v. 155, p. 1404-109. 2014. WHO ASSIST Working Group. The alcohol, Smoking and substance Involvement Screening Test (ASSIST): development, reliability and feasibility. Addiction 2002; 97:1183-94.