Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 219


219

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE ACERCA DOS CUIDADOS AOS PACIENTES COM BACTÉRIAS MULTIRRESISTENTES

Autores:
Mirelly do Amaral (mirellyenf@gmail.com) (Enfermeira. Mestranda do Programa de Pós Graduação en Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (PEN/UFSC). Membro do grupo de pesquisa GEASS/UFSC.) ; Mariana da Silva Bernardo (Enfermeira. Especialista em Saúde com ênfase em Alta Complexidade RIMS-HU, pela Universidade Federal de Santa Catarina.) ; Melissa Orlandi Honório Locks (Enfermeira Docente do Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)e tutora do Programa de Residência integrada multiprofissional em saúde do HU-UFSC. Membro do grupo de pesquisa GESPI- UFSC.)

Resumo:
RESUMO: A adesão dos profissionais de saúde às precauções adequadas é fundamental para prevenir a transmissão de bactérias multirresistentes aos pacientes e ao ambiente hospitalar. Porém com o aumento do índice de pacientes colonizados e infectados por bactérias multirresistentes e sendo este um problema de saúde pública em todo o mundo, faz-se necessário realizar pesquisas que abordem este tema. Objetivou identificar o conhecimento da equipe multiprofissional em relação aos cuidados com pacientes com bactéria multirresistente e, propor uma tecnologia educativa através de cartilha de orientação aos profissionais recém- inseridos na unidade. Pesquisa qualitativa, descritiva- exploratória, realizada com 20 profissionais de saúde de uma unidade de isolamento de um hospital universitário do sul do Brasil, através de um questionário semi-estruturado. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos segundo a Resolução nº 466/12. Os dados foram analisados com base na técnica de análise de conteúdo proposto por Minayo. Como resultado identificou-se quatro categorias: Conhecimento dos profissionais acerca das infecções relacionadas à assistência à saúde e das bactérias multirresistentes; Higienização das mãos como principal cuidado da equipe de saúde; Principais desafios para o cuidado e; Dificuldades e facilidades na assistência diária aos pacientes com bactéria multirresistente. Os profissionais apontaram alguns desafios para o cuidado que interferem na rotina dos profissionais que atuam diariamente em uma unidade de isolamento. A higienização das mãos foi identificada como principal forma de precaução para diminuir o índice de infecção hospitalar. Os resultados deste estudo podem auxiliar nas estratégias de educação voltadas a equipe de saúde, sobretudo aos profissionais recém-admitidos no setor, buscando padronizar as rotinas em busca de um cuidado seguro, uma vez que traz como produto a proposta de uma cartilha educativa a estes profissionais. Agradecimentos e colaboração: PROE/ CAPES e Programa de Pós Graduação em Enfermagem da UFSC. Descritores: Resistência a Múltiplos Medicamentos; Atitudes e Práticas em Saúde; Precaução; Infecção Hospitalar; Equipe de Assistência ao Paciente.


Referências:
BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Segurança do Paciente em Serviços de Saúde: Higienização das Mãos / Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2009. BRASIL. Ministério da Saúde (BR). Portaria nº 2.616 de 26 de maio de 1998, que regulamenta as ações de controle de infecção hospitalar no país. Brasília (DF): Ministério da Saúde; 1998. FERREIRA, L.A. et al . Adesão às precauções padrão em um hospital de ensino. Rev. Bras. Enferm., Brasília , v. 70, n. 1, p. 96-103, fev. 2017 . Disponível em