Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 227


227

Processo de comunicação entre a equipe de enfermagem da terapia intensiva durante o handover

Autores:
Rafael Celestino da Silva (rafaenfer@yahoo.com.br) (Escola de Enfermagem Anna Nery- Universidade Federal do Rio de Janeiro) ; Grazielle Rezende da Silva Santos (Escola de Enfermagem Anna Nery- Universidade Federal do Rio de Janeiro) ; Fabiana de Mello Barros (Escola de Enfermagem Anna Nery- Universidade Federal do Rio de Janeiro)

Resumo:
Introdução: Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) a comunicação está intensamente presente na troca de informações entre profissionais durante a transferência de turnos ou de um paciente para outra unidade, o handover. Falhas nessa comunicação podem causar danos aos pacientes. Objetivo: descrever o processo de comunicação entre os profissionais da equipe de enfermagem da UTI durante o handover, analisando-o quanto à presença de ruídos. Metodologia: Estudo de campo, qualitativo e exploratório, na UTI de um hospital federal. Participaram 47 membros da enfermagem. Houve gravação de áudio do handover, que foram transcritos para um instrumento elaborado com base na literatura, e analisados quanto à presença ou ausência de informações, completude e a presença de erros. Resultados: Dentre as ausências, destaca-se a avaliação do quadro do paciente com 99,2%, seguido pelo plano de cuidados com 91,6%. Quanto à incompletude, no item Dados objetivos, as informações estavam incompletas em 100% dos instrumentos; nos Dados subjetivos em 88,5%. O erro esteve presente em 4% dos instrumentos. Conclusão: Mesmo havendo uma rotina para o handover neste setor, os ruídos ainda persistem, e podem afetar o processo de cuidado. Implicações para a enfermagem: Para pensar sobre as melhores práticas para promover a comunicação efetiva durante o handover é preciso analisar o tipo de informação que está sendo perdida e as causas subjacentes, de modo a propor barreiras de segurança para impedir a ocorrência dos erros e eventos adversos.


Referências:
ALMEIDA, A.C.G.et al. Transporte intra-hospitalar de pacientes adultos em estado crítico: complicações relacionadas à equipe, equipamentos e fatores fisiológicos. Acta Paul Enferm. 2012; 25(3): 471-6. ILAN, R et al. Handover patterns: an observational study of critical care physicians. BMC Health Serv Res. 2012 Jan 10;12:11