Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 243


243

A percepção dos técnicos de enfermagem a cerca do manuseio e manutenção do Cateter Central de Inserção Periférica guiado com auxílio de ultrassom

Autores:
Thuany de Oliveira Abreu (thu_mbpak@hotmail.com) (Hospital Central do Exército) ; Maria Cristina Augusta Coelho (UniRio) ; Isabela Martins de Morais (UniRio) ; Micheli Teixeira de Oliveira (UniRio) ; Tamires Zêba Guimarães (UniRio)

Resumo:
INTRODUÇÃO: A manutenção e rotina de cuidados do cateter deverá ser realizada pelo profissional treinado e capacitado, que possui qualificação para manuseio, manutenção e permeabilidade do cateter. O estudo é relevante considerando a importância do técnico de enfermagem para permanência e manutenção do cateter de PICC. Como objetivo do estudo foi delimitado conhecer a percepção dos técnicos de enfermagem a cerca do manuseio do PICC. A partir dessas considerações foram definidas como questões norteadoras do estudo: Que dificuldades foram encontradas durante o manuseio do cateter de PICC? De que maneira a implementação do PICC contribuiu para a assistência de Enfermagem?Quais são as técnicas utilizadas para a manutenção e permanência do cateter? ABORDAGEM METODOLÓGICA: Trata-se de um estudo descritivo com abordagem qualitativa. Como sujeitos participaram do estudo técnicos de enfermagem que receberam treinamento para manuseio e manutenção do cateter. Foram realizadas 33 entrevistas, momento em que houve saturação dos dados. O instrumento de coleta de dados utilizado foi um roteiro semi-estruturado para entrevista, com 08 perguntas fechadas para a caracterização dos sujeitos, e 03 abertas explorando a temática. Finalizada a coleta das entrevistas procedemos à transcrição para posterior análise dos resultados. RESULTADOS e DISCUSSÃO: Foi observado a partir da análise das entrevistas que este dispositivo representa uma melhoria na qualidade da assistência, no que tange não somente ao paciente como também à equipe de saúde, uma vez que otimiza o tempo do profissional, quando se entende que o PICC é um dispositivo seguro e que possibilita o paciente ter um tratamento prolongado e sem interrupções. Os profissionais abordados neste estudo demonstraram detenção de conhecimentos sobre o cateter e sua funcionalidade, o que evidencia a importância da realização da educação continuada sobre a temática constantemente e/ou sempre que houver necessidade.


Referências:
Conselho Federal de Enfermagem [homepage na internet]. Resolução nº 258 de 12 de julho de 2001. Inserção de Cateter Periférico Central, pelos Enfermeiros. [acesso em 17 jun 2016]. Disponível em: http://www.portalcofen. gov.br/legislação/r258.htm. Pezzi MO. Manual de Cateterização Central de Inserção Periférica-CCIP /PICC. Porto Alegre: Grupo de estudos do CCIP; 2004. Baiocco GG, et al. Cateter Central de Inserção Periférica na Prática de Enfermagem. Porto Alegre. Editora Moriá. 2013 BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2007. OLIVEIRA, D. C. Análise de conteúdo temático-categorial: uma proposta de sistematização. Rev Enferm UERJ. Rio de Janeiro, v. 16, n. 4, p.569-576, out - dez, 2008. MINAYO MCS (Org.); DESLANDES SF; CRUZ NETO O; GOMES R. Pesquisa Social - teoria, método e criatividade. 19.ed. Petrópolis: Vozes, 2001. BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Oswaldo Cruz. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde. Brasília: MS, 2012.