Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 361


361

A DOR DA LACTENTE NO ATO DE AMAMENTAR COMO FATOR CONTRIBUINTE PARA O DESMAME PRECOCE: REVISÃO INTEGRATIVA

Autores:
Bianca da Silva Gonzaga (bia_gonzaga2@hotmail.com) (Universidade Federal de Sergipe - UFS) ; Beatriz Costa da Silva (Universidade Federal de Sergipe - UFS) ; Clara Santana Sousa (Universidade Federal de Sergipe - UFS) ; Jessika Valeska Martins Ramos (Universidade Federal de Sergipe - UFS) ; Quezia Santana dos Santos (Universidade Federal de Sergipe - UFS) ; Fernanda Costa Martins Gallotti (Universidade Federal de Sergipe - UFS)

Resumo:
INTRODUÇÃO: O desmame precoce está cada vez mais crescente no Brasil, situação em que as mães interrompem o aleitamento materno exclusivo antes do período preconizado pela OMS, os seis meses de idade da criança1. OBJETIVO: Sintetizar a produção científica sobre a dor no ato de amamentar como fator contribuinte para o desmame precoce. METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão integrativa nas seguintes bases de dados: LILACS, PUBMED, MEDLINE E BDENF com os descritores: aleitamento materno, dor e mães, esse cruzamento resultou em 109 estudos. Após a filtragem por texto completo gratuito, títulos, resumos, leitura na íntegra e exclusão por repetição, restaram 6 artigos que atendiam o objetivo do estudo. RESULTADOS: A análise dos resultados não apresentou uma ligação direta da dor com o desmame precoce, entretanto, todos os artigos mencionaram a dor como uma barreira que dificulta o processo de amamentar. Os artigos foram divididos em duas categorias que englobam os assuntos tratados por eles: 1- fatores desencadeantes da dor na amamentação (n=5); 2- consequências da interrupção da amamentação (n=3). CONCLUSÃO: Esse estudo permitiu a visualização da produção científica a respeito do tema, e mostrou que a dificuldade de amamentar é vista pelas nutrizes como uma experiência traumática, em que as mesmas se sentem menos mãe e/ou menos mulher. CONTRIBUIÇÕES PARA ENFERMAGEM: É evidente a importância das ações de enfermagem na educação em saúde durante o pré-natal e o puerpério, já que o enfermeiro corrige os erros, esclarece as dúvidas, mostra alternativas de posições corretas, faz um trabalho de atenção exclusiva, o que facilita o processo de amamentar2.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Saúde da criança: nutrição infantil, aleitamento materno e alimentação complementar. Brasília;2009. COFEN. Conselho Federal de Enfermagem. Parecer Nº18/2016/CTAS; 2016.