Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 380


380

A ENFERMAGEM E A SAÚDE SEXUAL DE PESSOAS SURDAS: UM ESTUDO DE REVISÃO

Autores:
Carla Oliveira Shubert (carlashubert@yahoo.com.br) (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO) ; Lucia Helena Garcia Penna (UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO)

Resumo:
Os surdos possuem impedimentos sensoriais que podem obstruir sua participação plena e efetiva na sociedade em igualdade de condições com os demais. A vivência da sexualidade é um direito próprio da condição humana e deve ser vista sem preconceitos, incluindo a possibilidade das pessoas com deficiência exercerem seu direito a ter uma vida afetiva e sexual ativa, constituindo suas famílias e planejando a vinda de seus filhos. A concepção ampliada de sexualidade, que não se limita ao ato sexual em si, traz à tona a inegável complexidade da afetividade humana, nos processos que envolvem a escolha de parceiros que correspondam às expectativas emocionais e sexuais de cada pessoa. Toda pessoa com deficiência deve ser acolhida e receber respostas às suas necessidades em saúde quando recorre aos serviços de saúde. Em especial assistência à saúde sexual, o enfermeiro deve estar apto para atender às necessidades da pessoa surda. Objetivo: identificar estudos sobre promoção da saúde sexual de surdos por enfermeiros. Metodologia: revisão integrativa realizada na Biblioteca Virtual de Saúde, com artigos publicados no Brasil, entre 2007 e 2017. Conclusão: dois artigos foram selecionados e tinham relevância com o tema proposto. Conclusão: a saúde sexual é considerada parte da atenção integral à saúde das pessoas com deficiência e portanto, os estudos, apesar de escassos, apontam a necessidade de capacitar enfermeiros para interação adequada através da Língua de Sinais Brasileira . Implicações para a enfermagem: apesar das políticas públicas voltadas para atender os direitos dos surdos, evidencia-se a necessidade de interação adequada entre o enfermeiro e o surdo, em especial na utilização da Língua de Sinais Brasileira e assim, reconhecer e atender as necessidades reais desta população.


Referências:
Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde sexual e saúde reprodutiva / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. - Brasília : Ministério da Saúde, 2010. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Política Nacional de Saúde da Pessoa com Deficiência - Brasília , 2010. ______. Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência: Protocolo. Brasília (DF):, BRASIL, 2007