Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 386


386

A PARTICIPAÇÃO DO PAI NO PROCESSO DE CHEGADA DA PARTURIENTE NA MATERNIDADE: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores:
Chrisllaine Rodrigues Maciel (chrisllainerodrigues_@hotmail.com) (UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS) ; Amanda Barbosa Gomes (UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS) ; Mayra Leandro da Silva (UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS) ; Marina Rodrigues Carvalho (UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS) ; Nirliane Ribeiro Barbosa (UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS)

Resumo:
Introdução: Pelo fato da gestação ser sentida fisiológica e anatomicamente pela mulher, frequentemente, o homem se retrai1. Entretanto, sua participação na gestação, parto e puerpério possui importância não só para a construção da identidade paterna, como também para o estabelecimento dos vínculos entre pai e bebê, a promoção da saúde mental do filho e o bem estar da mulher2. Nesse sentido, a expressão "pais grávidos" tem sido utilizada para enfatizar que a gravidez não é um evento exclusivamente feminino e que, embora o homem não engravide fisiologicamente, a paternidade inicia na gestação1,3. Objetivo: Relatar a vivência acerca da participação do pai no processo de chegada da parturiente na maternidade e acompanhamento da mesma durante o trabalho de parto em atividades práticas promovidas pela Liga Acadêmica Multiprofissional de Saúde Materno-Infantil - LAMSMI, durante o processo gravídico puerperal. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência, vivenciado em maternidades de referência em risco habitual e alto risco para obstetrícia, no município de Arapiraca-AL, no ano de 2016. Resultados: O desenvolvimento das práticas, viabilizou a identificação da figura paterna acompanhando a parturiente na chegada a maternidade. Observou-se, que o homem expressa o desejo de envolver-se nesse processo, porém o despreparo e a falta de informações contribuem para que este assuma uma posição passiva frente ao nascimento do filho. Conclusão: Compreende-se que o envolvimento do pai durante a gestação tem grande importância para a sua participação ativa enquanto acompanhante da parturiente na maternidade. Implicações para a enfermagem: Nesta perspectiva, promover a participação ativa do pai no período gravídico-puerperal, desde a atenção primária, constitui uma estratégia que qualifica a prática e os cuidados de enfermagem. Descritores: Paternidade. Enfermagem. Maternidade.


Referências:
1. RIBEIRO J.P et al. Participação do pai na gestação, parto e puerpério: refletindo as interfaces da assistência de Enfermagem. Revista Espaço para a Saúde. Londrina. v. 16.n. 3 p. 73-82. jul/set. 2015. 2. ZAMPIERI M.F.M et al. O significado de ser pai na ótica de casais grávidos: limitações e facilidades. Rev Eletr Enf [periódico na Internet]. 2012. 3. BARBOSA N.R et al. Da gestação ao nascimento: percepção do casal grávido. Revista Baiana de Enfermagem. 2013; 27(2): 108-23.