Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 388


388

A EDUCAÇÃO EM SAÚDE COMO ESTRATÉGIA PARA A PROMOÇÃO DO AUTOCUIDADO

Autores:
Chrisllayne Carla Cavalcante Nascimento (chrisllaynenascimento@gmail.com) (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Charles Maurício Barros dos Santos (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Francyelle Alves da Paixão Nobre (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Luana Patrícia Barros Collaço (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Monteiro Pires Bastos Júnior (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Aldenízia Kássia de Melo Carvalho (Centro Universitário Tiradentes - UNIT)

Resumo:
INTRODUÇÃO: As práticas educativas em saúde propiciam a autonomia do indivíduo no que diz respeito à condição de autor da sua própria trajetória de saúde e doença, o indivíduo assume a responsabilidade sobre decisões relacionadas à sua saúde e pode incorporar ações para o autocuidado. O enfermeiro possui papel importante de cuidador e educador, além do compromisso ético e profissional que o torna um dos grandes responsáveis por sistematizar e incentivar o autocuidado. OBJETIVO: Evidenciar a educação em saúde como estratégia para a promoção do autocuidado incentivando a autonomia dos pacientes no seu processo saúde/doença. METODOLOGIA: Trata-se de uma pesquisa qualitativa, onde os dados foram provenientes de publicações na Biblioteca Virtual da Saúde - BVS, nas bases de dados: Lilacs e BDENF. Sendo incluídos artigos completos em português, publicados entre 2013 a 2017. RESULTADOS: A enfermagem, nos diferentes cenários de atuação, pode desenvolver estratégias de educação em saúde para a promoção do autocuidado. As ações educativas envolvendo a comunidade, família e usuários tornam-se essenciais, pois podem promover saúde através da troca de saberes, aumentando as possibilidades de que os indivíduos assumam a responsabilidade pelo seu autocuidado, conseguindo atuar para melhoria da sua qualidade de vida. Evidencia-se a necessidade de colocar o doente como ser ativo do seu tratamento tendo como metas a prevenção de complicações e manutenção de sua saúde. O cuidado de enfermagem deve estar voltado para as práticas inovadoras que estão sendo desenvolvidas para a promoção do autocuidado e que estas sejam coerentes com as realidades de cada serviço de saúde e com as demandas de cada paciente. CONCLUSÃO: É necessário estimular a participação das pessoas no seu tratamento, tendo em vista que a melhora na qualidade de vida pode reduzir significativamente a progressão da doença, além de incentivar à autonomia dos indivíduos.


Referências:
REFERÊNCIAS COSTA, L.J.S.L.; et al. Autocuidado dos adultos jovens com diabetes mellitus tipo 2. Rev. Enferm. UFPE on line., Recife, 10(11):3875-3882, Nov., 2016. ROSO, C.C.; et al. O autocuidado de doentes renais em tratamento conservador: uma revisão integrativa. Rev. pes.: cuid. fundam. Online., 5(5):10210, Dez., 2013. TOSSIN, B.R.; et al. As práticas educativas e o autocuidado: evidências na produção científica da enfermagem. Rev. Mineira de Enferm., 20:e940, 2016.