Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 505


505

ATENÇÃO EM SAÚDE MENTAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA E SUAS IMPLICAÇÕES PARA O MOVIMENTO DE REFORMA PSIQUIÁTRICA EM JUIZ DE FORA/MINAS GERAIS

Autores:
Gisele Fernandes Tarma (gisele_fernandes123@hotmail.com) (Universidade Federal do Rio de Janeiro/Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ/EEAN)) ; Mariangêla Aparecida Gonçalves Figueiredo (Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ/EEAN)) ; Angela Peters Rodrigues (Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora (FCMS-JF)) ; Antonio José de Almeida Filho (Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ/EEAN)) ; Tânia Cristina Franco Santos (Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ/EEAN)) ; Maria Angélica de Almeida Peres (Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Escola de Enfermagem Anna Nery (UFRJ/EEAN))

Resumo:
Introdução: O estudo trata do início da atuação das Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Juiz de Fora como porta de entrada para acolhimento, tratamento e acompanhamento dos usuários com transtornos psíquicos. Objetivo: Analisar a implantação de Protocolos de Conduta para o atendimento em saúde mental na UBS da região Oeste. Metodologia: Estudo histórico-social, qualitativo. Utilizou-se documentos escritos e entrevistas com 6 integrantes da equipe de saúde da UBS cenário, utilizando-se a técnica da história oral temática. A análise seguiu a ordenação temática e triangulação dos dados. Resultados: A assistência aos usuários portadores de transtornos psíquicos no âmbito da atenção primária à saúde propõe a multidisciplinaridade, integralidade e descentralização¹. O município criou normas de conduta, por meio de Protocolos, aplicados pela equipe da UBS, com intenção de acolher na comunidade a demanda de saúde mental, promovendo a desinstitucionalização, reabilitação psicossocial e resgate da cidadania de pessoas que vinham da desospitalização ². Conclusões: Os profissionais da UBS tiveram subsídios para atender essas pessoas e seus familiares em sua área de moradia, através de capacitações que permitiram acolher essas pessoas através de relações terapêuticas, respeitando a singularidade de cada sujeito. Os Protocolos direcionaram a equipe da UBS para o acolhimento e outras ações voltadas para o atendimento extra-hospitalar em saúde mental, incorporando novas práticas condizente com o movimento de reforma psiquiátrica.Contribuições para a Enfermagem: Registrar o fenômeno histórico das ações saúde mental no âmbito da atenção primária à saúde no bojo do movimento de Reforma Psiquiátrica.


Referências:
AMARANTE, P. Saúde mental e atenção psicossocial. Rio de Janeiro. Editora Fiocruz: 2015. RIBEIRO, M. S. (Org). Protocolos de Conduta do Sistema Municipal de Saúde Mental. Juiz de Fora: SUS, 2000.