Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 551


551

A GESTÃO DA REDE DE FRIO POR ENFERMEIROS NO MUNICIPIO DE SÃO PAULO

Autores:
João Gregório Neto (netogregoriojoao@gmail.com) (Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo) ; Maria Lígia Bacciotte Ramos Nerger (Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo) ; Mariana de Souza Araújo (Coordenação de Vigilância em Saúde do Município de São Paulo)

Resumo:
Rede de frio é um sistema que garante a manutenção adequada da Cadeia de Frio, através do planejamento e normatização para conservação dos imunobiológicos. O processo logístico inclui as etapas de recebimento, de armazenamento e de distribuição. A inclusão de imunobiológicos nos últimos anos pelo Ministério da Saúde desafiou o redimensionamento da logística no município de São Paulo. O trabalho tem como objetivo relatar o papel do enfermeiro como gestor da Rede de Frio no município de São Paulo. O relato: o município de São Paulo recebeu no ano de 2016 cerca de 14 milhões de doses de vacinas para atender cerca de 12 milhões de habitantes. O desafio para a reestruturação iniciou-se em 2007, concluído no inicio do ano de 2016, com a inauguração do Centro de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos - CADI, instalado quatro câmaras fria de 20m² cada. Atualmente a Rede de Frio é composta pelo CADI; por cinco Postos de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos - PADIs, que estão localizados em cada região de São Paulo; e, 561 salas de vacinas. A gestão desta estrutura é realizada por enfermeiros, fruto deste trabalho é a redução das perdas de vacinas no ano de 2016 para 2015 em 47,3% e para 2014 em 43,1%. Concluímos que o profissional enfermeiro na coordenação da rede de frio proporcionou a manutenção dos níveis recomendados de temperatura, reduziu o risco de perda de vacinas, otimizando os recursos humanos e espaço físico. Porém surgem outros desafios, como o enfoque na formação profissional e a garantia da manutenção da rede. Descritores: 1. Vacinas; 2. Refrigeração; 3. Enfermeiro


Referências:
Brasil. Manual de rede de frio. Secretaria de Vigilância em Saúde. 4. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.