Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 632


632

INOVAÇÕES TERAPEUTICAS NO TRATAMENTO DO PÉ-DIABÉTICO: REVERTENDO A NECESSIDADE DE AMPUTAÇÃO

Autores:
Luana de Cerqueira Ferreira (luanacerqueira.f@hotmail.com) (Centro Universitário Cesmac) ; Tays Suanne da Silva Farias (Centro Universitário Cesmac) ; Alice Mirelly de Lima Guimarães (Centro Universitário Cesmac) ; Gabriellen Caroline Araújo de Lima (Centro Universitário Cesmac) ; Sara Rafaelle de Oliveira Silva (Centro Universitário Cesmac) ; Raissa Fernanda Evangelista Pires dos Santos (Centro Universitário Cesmac)

Resumo:
Na busca pela qualidade da assistência, destaca-se a necessidade de uma prática baseada em evidência pelos enfermeiros1. Sendo assim, objetiva-se descrever o que se tem produzido sobre as inovações terapêuticas no tratamento do pé-diabético. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura nas Bases de Dados: MEDLINE/LILACS/Scielo, com artigos em português e inglês, de 2008-2016, totalizando 08. Destacam-se algumas terapias inovadoras, são elas: a Oxigenoterapia Hiperbárica (OHB), tratamento adjuvante onde os efeitos demonstrados experimentalmente demonstraram melhora da hipóxia tecidual, aumento da perfusão, redução do edema, regulação das citocinas inflamatórias, proliferação de fibroblastos, produção de colágeno e angiogênese1. O uso da fenitoína tópica e pela via sistêmica, como cicatrizante, é outra alternativa que promove proliferação do tecido de granulação, angiogênese e diminuição do tamanho das feridas2. A terapia com laser de baixa intensidade, associada ao tratamento conservador também evidenciou o fechamento de úlceras plantares neuropática dentro de 8 semanas3. E a solução pulverizada contendo hemoglobina purificada, usada em pacientes portadores de pé-diabético num período de 4 semanas também promoveu redução da ferida, sendo de fácil utilização, com poucos eventos adversos e boa aceitabilidade4. Conclui-se que métodos inovadores associados à prática baseada em evidência promoverão uma excelência na assistência ofertada, minimizando os riscos de amputação.


Referências:
1. FARIA GBG et al. Conhecimento e prática dos Enfermeiros sobre o cuidado com feridas. Rev enferm UFPE online, 10(12):4532-8,2016. 2. FIRMINO F et al. A produção científica acerca da aplicabilidade da fenitoína na cicatrização de feridas. Rev Esc Enferm USP, 48(1):166-173,2014. 3. Sutterfiel R. Light therapy and advanced wound care for a neuropathic plantar ulcer on a Charcot foot. J Wound Ostomy Continence Nurs; 35(1):113-5,2008. 4. Bateman, Sharon Dawn. Topical haemoglobin spray for diabetic foot ulceration. Br j Nurs; 24(12):S24-9,2015.