Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 657


657

ESTRESSE E ANSIEDADE: IMPACTO NO COTIDIANO DE PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM

Autores:
Marcelle Leal Ribeiro (marcellelealr@gmail.com) (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) ; Daniel Aragão Machado (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) ; Isabela Alves da Silva Guimarães (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro) ; Paula Sassi Martins (Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro)

Resumo:
Introdução: Considerar o trabalho da enfermagem como força motriz de transformação da sociedade, evidencia a necessidade de preservar a saúde mental destes profissionais. O estresse impacta negativamente a saúde física e mental e provoca insatisfação no trabalho, comprometendo o indivíduo e as organizações¹. A ansiedade é um dos indicadores do estresse e pode se tornar patológica à medida que se apresenta mais intensamente². Os profissionais de enfermagem tem buscado construir sua identidade profissional e obter reconhecimento¹. Nesse processo, enfrentam dificuldades que comprometem o desempenho do seu trabalho. Buscar estratégias que minimizem o sofrimento psíquico dessa categoria é valorizar e reconhecer a sua importância para a sociedade. Objetivo: Mapear níveis de estresse e ansiedade na equipe de enfermagem de um hospital universitário. Metodologia: Trata-se de um estudo quantitativo com uma amostra de 50 profissionais, realizado entre agosto e outubro de 2016. Os participantes responderam aos seguintes questionários: Questionário Demográfico (QD), Inventário de Sintomas de Stress (ISSL) e Inventário de Ansiedade Traço-Estado (IDATE). Aprovado no CEP, parecer nº 1.208.192. Resultados: quanto ao ISSL, 50% da amostra apresentou diagnóstico positivo para estresse, com predomínio da fase de resistência (80%) e prevalência de sintomas físicos. Quanto ao IDATE, o nível de ansiedade mais predominante foi o moderado, 66% para estado e 60% para traço. Conclusões: Concluiu-se que o estresse e a ansiedade estão presentes no cotidiano dos profissionais de enfermagem, o que possivelmente irá interferir na qualidade da assistência ofertada e impactar negativamente na saúde mental desses profissionais. Contribuições: O estudo elucida alguns dos problemas enfrentados pela profissão, tais como a insatisfação profissional, a produção no trabalho, o absenteísmo e as doenças ocupacionais, apontando a necessidade de modificação de políticas para a categoria e realização de estratégias de apoio para estes profissionais a fim de reduzir ou prevenir altos níveis de ansiedade e estresse.


Referências:
1. Stacciarini JM, Tróccoli BT. O estresse na atividade ocupacional do enfermeiro. Rev Latino-am Enfermagem 2001 março; 9(2): 17-25; 7. 2. Faria DAP, Maia EMC. Ansiedades e sentimentos de profissionais da enfermagem nas situações de terminalidade em oncologia. Revista Latino-Americana de Enfermagem 2007, 15(6).