Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 659


659

AÇÕES FRENTE AO ABSENTEÍSMO DO PESSOAL DE ENFERMAGEM

Autores:
Marcia Cristiane de Lima Peixoto (maiteclp@yahoo.com.br) (Universidade federal Fluminense - UFF/RJ) ; Taiza Florencio Costa (Universidade federal Fluminense - UFF/RJ) ; Andréa Rodrigues Passos (Universidade de São Paulo- USP) ; Bárbara Pompeu Christovam (Universidade federal Fluminense - UFF/RJ) ; Claudia Christy de Oliveira Tenório (Universidade federal Fluminense - UFF/RJ) ; Maycon de Oliveira Theobald. (Universidade federal Fluminense - UFF/RJ)

Resumo:
AÇÕES FRENTE AO ABSENTEÍSMO DO PESSOAL DE ENFERMAGEM Introdução O absenteísmo, como um indicador gerencial é referenciado segundo duas modalidades: Absenteísmo previsto composto pelas folgas e férias e não previsto, abarcando faltas injustificadas, justificadas e suspensões, tal modalidade inviabiliza o alcance das metas de qualidade da assistência de enfermagem aumentando ainda os custos nas instituições de saúde e Previdência Social. Objetivo: Resgatar, junto a enfermeiros gerentes de um hospital especializado em oncologia, ações adotadas, frente ao absenteísmo na equipe de enfermagem. Método: Estudo descritivo, exploratório, na vertente qualitativa. Os sujeitos do estudo foram 22 enfermeiros gerentes. Para a coleta de dados, foi adotada a técnica de entrevista semiestruturada e para análise dos achados a proposta de Minayo que resultou no resgate de ações de caráter institucional e profissional, que os enfermeiros gerentes vêm adotando frente ao absenteísmo do pessoal de enfermagem. Resultados: Foram identificadas como ações gerenciais de caráter institucional imediatas: Analisar a escala diária para redistribuição das atividades, solicitação de pessoal de outra unidade e prorrogação do horário dos colaboradores. Quanto as ações gerenciais de caráter institucional mediatas: Trocar falta por folga; atender solicitações de folgas e férias; planejar a escala com o pessoal; atender horário de trabalho solicitado; adotar medidas disciplinares; elaborar gráficos das faltas; elaborar relatório para remanejamento dos colaboradores. Como propostas para redução de absenteísmo: premiar colaboradores assíduos. As ações de caráter profissional mediatas: Manter diálogo; realizar reuniões e analisar motivação das faltas. Conclusão: O estudo resgata ações de natureza institucional, de caráter imediato e mediato e de natureza profissional de caráter mediato, adotadas pelos enfermeiros gerentes, frente ao absenteísmo do pessoal de enfermagem. Contribuições para Enfermagem: Proporcionar melhores práticas no gerenciamento dos Serviços de saúde e na ampliação dos estudos sobre ações para redução do Absenteísmo do pessoal de enfermagem. Descritores: Enfermagem; Absenteísmo; Recursos Humanos de Enfermagem; pesquisa em administração de enfermagem.


Referências:
Referências 1. Bittar OJN. Indicadores de qualidade e quantidade em saúde. RAS Rev Adm Saúde. 2004;6 (12):15-8. 2. Campbell SM, Braspenning J, Marshall M. Research methods used in developing and applying quality indicator in primary care. Qual Saf Health Care. 2002;11(4):358-64. 3. Kurcgant P, Tronchin DMR, Melleiro MM, Castilho V, Machado VB, Pinhel I, et al. Quality indicators and evaluation of human resources management in health. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2009 [cited 2014 Aug 17];43(n.spe 2):1168-73. Available from: http://www.scielo. br/pdf/reeusp/v43nspe2/en_a04v43s2.pdf 4. Kurcgant P, Melleiro MM, Tronchin DMR. Indicadores para avaliação da qualidade do gerenciamento de recursos humanos em enfermagem. Rev Bras de Enferm. 2008;61(5):539-544. 5. Núcleo de Apoio à Gestão Hospitalar (NAGEH). Programa de Qualidade Hospitalar (CQH). Manual de indicadores de enfermagem NAGEH. 2ª ed. São Paulo: APM/CREMESP; 2012. 6. Conselho Federal de Enfermagem. Resolução 293/2004, de 21 de setembro de 2004. Fixa e estabelece parâmetros para o Dimensionamento do Quadro de Profissionais de Enfermagem nas Unidades Assistenciais das Instituições de Saúde e Assemelhados [Internet]. Brasília: COFEN; 2004 [citado 2014 ago. 17]. Disponível em: http://www.cofen.gov.br/resoluo-cofen-2932004_4329.html 7. Minayo MCS. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes; 2012. 8. Ferreira EV, Amorim MJDM, Lemos RMC, Ferreira NS, Silva FO, Laureano Filho JR. Absenteísmo dos trabalhadores de enfermagem em um Hospital Universitário do Estado de Pernambuco. Rev RENE. 2011;12(4):742-9. 9. Sancinetti TR, Soares AVN, Lima AFC, Santos NC, Melleiro MM, Fugulin FMT, et al. Nursing staff absenteeism rates as a personnel management indicator. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2011 [cited 2014 Aug 17];45(4):1007-12. Available from: http://www.scielo.br/ pdf/reeusp/v45n4/en_v45n4a31.pdf 10. Laus AM, Anselmi ML. Absenteeism of nursing workers in a school hospital. Rev Esc Enferm USP [Internet]. 2008 [cited 2014 Aug 17];42(4):681-9. Available from: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v42n4/en_v42n4a09.pdf 11. Abreu RMD. Estudo do absenteísmo na equipe de enfermagem de um Hospital de Ensino [dissertação]. Uberaba: Universidade Federal do Triângulo Mineiro; 2009. 12. Lemos MC, Rennó CO, Passos JP. Absenteísmo na equipe de enfermagem: uma revisão de literatura. Rev Pesq Cuid Fundam. 2012;Supl.1:13-6. 13. Costa FM, Vieira MAS, Sena RR. Absenteísmo relacionado à doenças entre membros da equipe de enfermagem de um hospital escola. Rev Bras Enferm. 2009;62(1):38-44. 14. Umann J, Guido L, Grazziano ES. Presenteeism in hospital nurses. Rev Latino Am Enfermagem. 2012;20(1):159-66. 15. Appolinário RS. Absenteísmo na equipe de enfermagem: análise da produção científica. Rev Enferm UERJ. 2008;16(1):83-7.