Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 663


663

Estratégias de coping utilizadas por enfermeiros para enfrentamento do estresse

Autores:
Márcia Teles de Oliveira Gouveia (marcia06@gmail.com) (UFPI) ; Márcia Daiane Ferreira da Silva (UFPI) ; Rosana dos Santos Costa (UFPI) ; Márcia Astrês Fernandes (UFPI) ; Priscilla Cavalcante Lima (UFPI)

Resumo:
O trabalho é uma atividade que insere o homem na sociedade, o dignifica e é por meio deste que o indivíduo se realiza, garante sua subsistência e posição social. As condições de trabalho repercutem na qualidade do serviço do trabalhador, podendo assim ter aspectos positivos e negativos. Na tentativa de contornar as tensões, os enfermeiros utilizam estratégias conhecidas como coping, definidas como um processo dinâmico de esforços direcionados para a resolução das dificuldades. Objetivo: identificar as estratégias de coping utilizadas pelos enfermeiros para o enfrentamento do estresse. Estudo descritivo-exploratório, do tipo transversal,. Obteve-se uma amostra de 29 enfermeiros que trabalhavam há mais de um ano em uma maternidade pública de Teresina-PI. Os participantes responderam a um questionário sócio demográfico e aos Inventários de Estresse de enfermeiros e o de Estratégia de Coping. Os fatores que mais causavam estresse entre eles eram fatores intrínsecos ao trabalho e a de estratégia de coping mais utilizada era do tipo de suporte social. O coping poderia vir a ser uma forma de evitar o estresse profissional. No entanto, na população estudada, o coping focado na emoção é o mais utilizado, essencialmente para resolução de problemas, na qual o indivíduo tenta reestruturar o acontecimento, com o intuito de encontrar alguns aspectos mais favoráveis, fala coisas a si próprias com a intenção de amenizar a gravidade da situação. Espera-se contribuir diretamente com enfermeiros que atuam no âmbito hospitalar, levando-os a refletir sobre o estresse e procurar diminuir os estressores. Descritores: Enfermagem; Saúde do Trabalhador; Estresse.


Referências:
1. Réus KMS, Ronchi, MDBB, Gava FLF, Medeiros IS, Dagostim VS, Ceretta LB, Soratto MT. A síndrome de burnout dos enfermeiros na ESF. Revista Inova Saúde. 2014; 3(2): 109-29. 2. KebianLVA, furtado CMSC, paulino EFR.A síndrome de burnout nos estudos de enfermagem: uma revisão bibliográfica. Ver Corpus et Scient. 2010; 6(2). 3. Silva MKD, Zeitoune RCG. Riscos ocupacionais em um setor de hemodiálise na perspectiva dos trabalhadores da equipe de enfermagem. Esc Ana Nery Rev Enf. 2009; 12(2): 279-86. 4. Lopes CCP, Ribeiro TP, Martinho NJ. Síndrome de Burnout e sua relação com a ausência de qualidade de vida no trabalho do enfermeiro. Enferm em foco. 2012; 3(2): 97-101.