Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 712


712

Atuação da enfermeira de família face ao óbito de macacos durante a epidemia da febre amarela

Autores:
Maryane Brito Macêdo (maryanemacedo@hotmail.com) (Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS) ; Glêcia Carvalho Santana (Universidade Estadual de Feira de Santana - UEFS) ; Paulo Roberto Lima Falcão do Vale (Universidade Federal do Recôncavo da Bahia - UFRB)

Resumo:
Introdução: Em Feira de Santana, até o dia 31/03/2017, foram notificadas 23 epizootias em Primatas Não Humanos, desses, dois casos foram confirmados para febre amarela (FEIRA DE SANTANA, 2017). Objetivo: Descrever ações de uma enfermeira de família com ênfase ao vínculo, integralidade e responsabilização sanitária com a comunidade. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência por graduandos de enfermagem durante a prática em uma Unidade Saúde da Família (USF) do município de Feira de Santana, Bahia, no mês de abril de 2017. Resultados: Ao iniciar seu processo de trabalho, por volta das 8h, a enfermeira é buscada por uma usuária da USF que se expressa aflita. De imediato a enfermeira busca construir um ambiente acolhedor que favoreça o diálogo e a escuta qualificada, assim a usuária evoca uma narrativa que demonstra apreensão ao visualizar um mico morto no quintal da sua residência. Acrescenta que já realizou contato telefônico com a vigilância epidemiológica municipal (VIEP) onde foi orientada a não se aproximar do animal, isolar a área e cobri-lo com qualquer tecido. A enfermeira parabeniza a moradora pela conduta, colhe o endereço completo da residência, bem como os contatos telefônicos, ratifica a orientação dada e realiza contato telefônico com a VIEP a fim de dar resolutividade a essa situação. Considerações: A construção do vínculo favorece às estratégias de promoção da saúde, prevenção de riscos e agravos, e a resolutividade das necessidades de saúde. Contribuições para a enfermagem: Supõe-se que a enfermagem pode ser a profissão que possui melhor intensidade de vínculo com os usuários da USF, de modo a transmitir sentimento de segurança e conforto.


Referências:
Referências: FEIRA DE SANTANA. Secretaria Municipal de Saúde. Boletim epidemiológico da febre amarela. 1º Ed., 04 abr. 2017. 02p.