Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 736


736

Humanização no processo de trabalho: um relato de experiência.

Autores:
Nadja Maria Florencio Gouveia dos Santos (nad.maria@hotmail.com) (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE) ; Silvana Cavalcanti dos Santos (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE) ; Valdirene Pereira da Silva Carvalho (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE) ; Samara Maria de Jesus Veras (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE) ; Kerllane Rafaella Freire Nascimento Santos (Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco - IFPE)

Resumo:
O Ministério da Saúde instituiu os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA/COAS) que são serviços que combatem às Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) (BRASIL, 2010). A HumanizaSUS propõe que o processo de trabalho em saúde efetive os princípios do SUS e sob essa perspectiva, unir trabalhadores, usuários e gestores na produção do cuidado. Essa Política orienta o acolhimento, a gestão participativa, a ambiência, a clínica ampliada, a valorização do trabalhador e a defesa dos direitos dos usuários (BRASIL, 2013). Buscou-se apresentar sob uma perspectiva critico-reflexiva, o processo de trabalho no CTA/COAS. Consiste em um relato de experiência vivenciado por acadêmicos de enfermagem sobre o processo de trabalho no CTA/COAS de Arcoverde-PE. O acolhimento na sala de espera e os aconselhamentos realizados no CTA precisam englobar o valor das práticas educativas e construindo uma relação de confiança entre profissionais e usuários, além disso, analisou-se pouca interligação entre o Centro e outras unidades de saúde. A enfermagem apresenta-se como alguns dos componentes da equipe e possui extrema relevância em conhecimento técnico e científico, introduzindo no processo de trabalho o auxílio à gestão do serviço, aconselhamento, educação permanente e humanização na assistência. Implica-se ampliar a cobertura e impacto das intervenções de educação em saúde, reorganizando processo de trabalho a partir de um diálogo e articulação entre os usuários, equipe multiprofissional, gestores e serviços de saúde, buscando uma melhor qualidade na atenção, utilizando estratégias que visem aumentar o nível de consciência da população em relação aos riscos e atraindo-os aos serviços disponibilizados. A enfermagem é predominantemente gerente e promotor de saúde, e nessa factível rotina, ele possui poder de organizar o serviço, diagnosticando as populações mais vulneráveis, intervindo através da educação em saúde e em seu processo de trabalho diário, acolher, aconselhar e detectar precocemente as IST, quebrando a cadeia de transmissão. DESCS: Enfermagem; HIV; Humanização da Assistência.


Referências:
1. BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização. HumanizaSUS. 1ª edição. Brasília, 2013. 2. BRASIL. Ministério da Saúde. Diretrizes para organização e funcionamento dos CTA do Brasil. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Brasília, 2010.