Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 827


827

HIPERTENSÃO ARTERIAL: UM ESTUDO DE CASO COM PACIENTE HIPERTENSO E AS INTERVENÇÕES DE ENFERMAGEM NAS VISITAS DOMICILIARES.

Autores:
Suélen Fernanda Schneider (suelen.schneiderf@gmail.com) (Centro Universitário UNIVATES) ; Alana Betina Dick (Centro Universitário UNIVATES) ; Claudete Fátima Hofstetter (Centro Universitário UNIVATES) ; Paula Michele Lohmann (Centro Universitário UNIVATES)

Resumo:
Introdução: O controle da hipertensão está intimamente relacionado às mudanças nos hábitos de vida. Fatores que precisam ser adequadamente abordados e controlados para que haja os níveis desejados da pressão arterial, fazendo-se necessário à prática do autocuidado pelo próprio paciente. (BALDUINO et al. 2013). Objetivo: Avaliar o papel educativo do enfermeiro na adesão ao tratamento da HAS e descrever possíveis intervenções durante visitas domiciliares. Metodologia: Trata-se de um estudo de caso, intervencional e com abordagem qualitativa, realizado com base em um usuário que participa do projeto "Ações Interdisciplinares de Cuidado em Saúde", desenvolvido pelo Centro Universitário UNIVATES, que mantém suas ações junto a um bairro no município de Lajeado/RS. Resultados: Na análise de informações, surgiram três categorias. Hábitos alimentares com ênfase na diminuição de sal: na qual não foi muito aderida pelo usuário, apesar de ingerir grande quantidade de alimentos saudáveis, o sal ainda era de grande consumo. Prática de exercícios físicos para propiciar benefícios: através de alongamentos e exercícios, relatando melhora na qualidade do sono, diminuição de dor nos membros inferiores e motivação para combater o seu sedentarismo. E facilitadores do autocuidado com adesão ao tratamento medicamentoso: à receptividade do usuário com as intervenções durante as visitas domiciliares, facilitou a adaptação ao seu autocuidado, inclusive a aceitação da caixa organizadora de medicamentos que proporcionou o uso correto de suas medicações. Conclusão: As intervenções atenderam as necessidades do usuário, contribuindo de forma significativa na melhora da sua qualidade de vida, por conseguinte, para a formação acadêmica dos envolvidos.


Referências:
BALDUINO et al. Análise conceitual de autogestão do individuo hipertenso. Rev Gaúcha Enferm. 2013.