Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 852


852

Análise do uso de pulseiras de identificação para a segurança do paciente

Autores:
Thaíssa de Araújo Ferreira Marques Santos (thaissadearaujo@hotmail.com) (Universidade Federal do Piauí) ; Raiana Soares de Sousa Silva (Universidade Federal do Piauí) ; Silvana Santiago da Rocha (Universidade Federal do Piauí) ; Marcia Teles de Oliveira Gouveia (Universidade Federal do Piauí) ; Nalma Alexandra Rocha de Carvalho (Universidade Federal do Piauí) ; Bianca Anne Mendes de Brito (Universidade Federal do Piauí)

Resumo:
Introdução: A identificação do paciente é uma área que está sendo bastante enfatizada dentre os processos gerenciais e assistenciais nos serviços de saúde, pois um erro ou evento adverso relativo à não conformidade na identificação podem ter desfechos catastróficos. Objetivo: Analisar o uso de pulseiras de identificação em pacientes internados em ambiente hospitalar. Metodologia: Utilizou-se a revisão integrativa de literatura. A coleta foi realizada nas bases de dados CINAHL, MEDLINE, LILACS, BDENF e na biblioteca eletrônica SciELO, no período de 2006 a 2016, por meio dos descritores controlados DeCS/MeSH: patient safety e patient identification systems; e dos títulos CINAHL: patient safety e patient identification, além disso foi utilizado o operador AND. Resultados: Encontrou-se taxas de não conformidade de identificação dos pacientes de 17,8%, 11,9% e 59,6% nos três artigos analisados. Os autores recomendam que a taxa de erros relativos a pulseiras de identificação deva ser mantida entre 0,2% e 0,3%, por se tratar de uma etapa essencial que precede parte dos cuidados. Conclusões: Os achados apontaram várias falhas relacionadas ao processo de identificação dos pacientes e que os expõem a situações de riscos. Tais falhas podem ter graves consequências que poderiam ser evitadas com uso e verificação das pulseiras de identificação. Contribuições: Sugere-se que sejam realizados estudos acerca de medidas e estratégias de educação a fim de que se tenha mais conscientização por parte dos pacientes, familiares e profissionais de saúde.


Referências:
BATES, D.W.; LARIZGOITIA, I.; PRASOPA-PLAIZIER N.; JHA, A.K. Global priorities for patient safety research. BMJ, 2009. HOFFMEISTER, L.V.; MOURA, G.M.S.S. Uso de pulseiras de identificação em pacientes internados em um hospital universitário. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v.23, n.1, 2015. QUADRADO, E. R. S.; TRONCHIN, D. M. R. Avaliação do protocolo de identificação do neonato de um hospital privado. Rev. Latino-Am. Enfermagem. v.20, n.4, 2012. TASE, T. H.; TRONCHIN, D. M. R. Sistemas de identificação de pacientes em unidades obstétricas e a conformidade das pulseiras. Acta Paul Enferm. v.28, n.4, 2015.