Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 880


880

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO (POP) NA SALA DE VACINAÇÃO DE UMA UNIDADE DE SAÚDE: RELATO DE EXPERIÊNCIA.

Autores:
William Dias Borges (williamdborges@gmail.com) (Universidade do Estado do Pará) ; Cleise Ellen Ferreira Pantoja (Universidade da Amazônia) ; Vanessa Kelly Cardoso Estumano (Universidade da Amazônia) ; Gilvana de Carvalho Moraes (Universidade da Amazônia) ; Fernanda Érika da Silva Amaral (Universidade da Amazônia) ; Margareth Feio Boulhosa (Universidade do Estado do Pará)

Resumo:
Introdução: Imunobiológioco, método constituído de elementos não infecciosos ou relativos de uma bactéria ou vírus que promove a imunidade do indivíduo, configura-se um recurso indispensável para a saúde pública. Neste sentido, para que ocorra o armazenamento e conservação ideal desses imunobiológicos é necessário que o enfermeiro realize a implantação do procedimento operacional padrão (POP) na sala de vacinação, para que haja padronização das atividades a serem realizadas. Objetivo: Relatar a experiência sobre a análise da utilização do POP na sala de vacinação de uma Unidade de Saúde. Metodologia: Estudo do tipo relato de experiência, baseado na análise de acadêmicas de enfermagem durante estágio extracurricular em março de 2017, na Unidade de Saúde de Outeiro em Belém-PA. Resultados: Durante a análise, verificou-se ausência de POP na sala de vacinação, dificultando a padronização do trabalho a ser executado, contribuindo para o risco de ocorrência de desvios na execução de tarefas fundamentais para a administração adequada dos imunobiológicos como: registro de temperatura em horários inadequados e organização inadequada das vacinas na geladeira. Conclusão: A partir desta análise, identificamos a necessidade da criação de um POP, com detalhes das condutas a serem aplicadas para manter a integridade do imunobiológico até a sua administração. Contribuições da Enfermagem: O protagonismo da enfermagem é crucial em imunização, neste sentido, além da padronização, o enfermeiro deve supervisionar e monitorar o funcionamento da sala de vacina evitando falhas nas atividades executadas, além de promover educação permanente para a sua equipe, assim garantindo um serviço essencial à garantia da saúde da população. Descritores: Enfermagem. Vacinação. Padronização.


Referências:
Referências: MELO, Giselle Karine Muniz; OLIVEIRA, Janice Vasconcelos; ANDRADE, Maria Sandra. Aspectos relacionados à conservação de vacinas nas unidades básicas de saúde da cidade de Recife - Pernambuco. Revista Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 19, n. 1, p. 25-32, mar. 2010.