Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 917


917

ERROS E ACERTOS NA MEDIDA DA PRESSÃO ARTERIAL NÃO INVASIVA

Autores:
Amanda Marinho da Silva (amandas.marinhos@gmail.com) (Acadêmica de Enfermagem da Escola de Enfermagem de Manaus, da Universidade Federal do Amazonas, Manaus-AM.) ; Noeli das Neves Toledo (Professora Doutora da Escola de Enfermagem de Manaus da Universidade Federal do Amazonas, Manaus-AM.) ; Joice Claret Neves (Professora Especialista da Escola de Enfermagem de Manaus da Universidade Federal do Amazonas, Manaus-AM.) ; Marianina Cerbina Grisi Pessoa (Enfermeira Mestra da Gerência de Ensino e Pesquisa do Hospital Universitário Getúlio Vargas, Manaus - AM.)

Resumo:
Introdução: Conhecer a técnica da medida da Pressão Arterial é fundamental para sua realização adequada e interpretação correta de seus resultados. Objetivo: Avaliar o nível de conhecimento dos profissionais de enfermagem sobre a medida da pressão arterial. Metodologia: Estudo de corte transversal com 16 enfermeiros e 42 técnicos das clínicas Médica e Cirúrgica. Utilizou-se um instrumento validado por Tibúrcio (2015), com questões de múltipla escolha sobre o conhecimento da pressão arterial, e uma Escala tipo Likert que identifica a satisfação dos profissionais sobre seu conhecimento da técnica. Resultados: Os enfermeiros apresentaram média de pontos semelhante à dos técnicos, com 5,65 (±1,84) e 5,6 (±1,79) e na escala Likert, suas médias foram de 3,36 (DP±0,74) e 3,4 (DP±0,76), respectivamente. O maior percentual de erros foram sobre: materiais necessários, dimensões da bolsa do manguito, superestimação da PA e método auscultatório. Comparando o nível de satisfação com o desempenho no questionário, pode-se inferir que os profissionais não reconhecem suas fragilidades sobre a técnica da medida da pressão arterial. Conclusão: O estudo demonstrou que a equipe de enfermagem apresenta déficits de conhecimento sobre a medida da PA não invasiva e parece não os reconhecer. Contribuições para Enfermagem: Ressaltamos a importância de atividades de capacitação e treinamento sistemático da equipe sobre o tema. Além da padronização da técnica baseada em pressupostos teóricos reconhecidos pela comunidade científica. Descritores: Determinação da Pressão Arterial; Conhecimento; Equipe de Enfermagem. Eixo: Conhecimentos e habilidades que compõem a identidade profissional da Enfermagem.


Referências:
1. SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. Diagnóstico e classificação. In: SOCIEDADE BRASILEIRA DE CARDIOLOGIA. 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão. 3. ed. Rio de Janeiro: Arq. Bras. Cardiol, v. 107, 2016. Cap. 2, p. 7-13. ISBN 0066-782X. Supl.3. 2. TIBÚRCIO, et al. Validação de conteúdo de instrumento para avaliar o conhecimento acerca da medida da pressão arterial. J. res.: fundam. care. online, Rio de Janeiro, v. 7, n. 2, p. 2475-85, Abr-Jun. 2015. 3. ALMEIDA, D. C. F.; LAMAS, J. L. T. Enfermeiros de Unidade de Terapia Intensiva adulto: avaliação sobre medida direta e indireta da pressão arterial. Rev. esc. enferm. USP, São Paulo, v. 47, n. 2, p. 369-76, Abr. 2013.