Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 928


928

PIELONEFRITE NA GRAVIDEZ: REDOBRANDO A ATENÇÃO

Autores:
Ana Carolina Farias Vieira (carolina.vieira1997@hotmail.com) (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ) ; Ellen Jayane Gomes Feitoza (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ) ; Joyciane de Oliveira Moureira (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ) ; Andreza Vanessa Gonçalves de Matos E Silva (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ) ; Angel Tamna Souza de Souza (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ) ; Marlucilena Pinheiro da Silva (UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ)

Resumo:
Introdução: A infecção urinária compreende-se pela presença de bactérias no trato urinário, ocasionando lesão em seus tecidos. As alterações da gestação facilitam a colonização e infecção podendo ascender para o trato urinário superior evoluindo para Pielonefrite, infecção no parênquima e pelve renal. Objetivos: Verificar os aspectos terapêuticos e complicações envolvendo gestante com pielonefrite. Metodologia: Busca de artigos nos bancos de dados, avaliação do prontuário e da gestante para estabelecimento e orientação dos cuidados. Resultados: Primigesta, 26ª semana gestacional internada em junho de 2017 na Maternidade local com pielonefrite aguda. Após alta, fará uso de Macrodantina até o parto. Em determinadas condições, a macrodantina é utilizada como quimioprofilático de 100 mg/dia até a 37ª-38ª semana de gravidez associada as medidas de higiene e hidratação. Foi elaborado plano de atenção e seguimento da gravidez com a gestante para que DE FORMA DEMOCRATICA a mesma se empenhe na estratégia terapêutica, redobrando sua responsabilidade e da equipe para um desfecho livre de danos a mãe e filho. a recidiva da pielonefrite pode ocorrer em 30% a 40% das mulheres que concluíram o tratamento. A bacteriúria assintomática parece estar intimamente envolvida com pielonefrite, assim como sepse urinária é a principal causa de choque séptico e pode estar relacionada com paralisia cerebral em recém-nascidos pré-termo (WILLIAMS, 2014). Conclusões: A infecção urinária deve ser tratada precocemente na gravidez para evitar futuras complicações. Observa-se resistência dos profissionais no pré-natal na identificação e tomada de medidas quanto à essa condição. Fazem-se necessários mais estudos que envolvam o uso prolongado da Macrodantina na gestação. Contribuições para a enfermagem: Atenção à gestante com infecção urinária, orientações sobre higiene íntima, alimentação, ingesta hídrica, importância da continuidade do tratamento e evitar futuras complicações.


Referências:
Manual de Obstetrícia de Williams: complicações na gestação - 23ªed.- Porto Alegre: AMGH, 2014