Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 930


930

ADEQUAÇÃO NO CUIDADO PRÉ-NATAL DE MULHERES ASSISTIDAS EM UMA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA DE ALTO RISCO

Autores:
Ana Caroline Belarmino Ferreira Silva (ana.carolferreira95@gmail.com) (Graduação em Enfermagem, Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora da Graças, Universidade de Pernambuco) ; Maria Lúcia Neto de Menezes (Mestre em Hebiatria, Docente da Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora da Graças, Universidade de Pernambuco) ; Maria das Neves Figueiroa (Doutora, Docente, Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora da Graças, Universidade de Pernambuco) ; Estela Maria Leite Meirelles Monteiro (Doutora, Docente, Departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Pernambuco) ; Renata Célia de Lira Neves (Especialista em Enfermagem em Saúde da Mulher, Enfermeira, Programa de saúde da Família do Município de Jaboatão dos Guararapes) ; Gabriele Maria Vicente Nascimento (Graduação em Enfermagem, Faculdade de Enfermagem Nossa Senhora da Graças, Universidade de Pernambuco)

Resumo:
Introdução: a assistência pré-natal compreende um conjunto de atividades voltadas a promoção, prevenção, diagnóstico e manuseio clínico de problemas obstétricos que venham a ocorrer, ou de enfermidades previamente existentes na gestação. Objetivo: avaliar a adequação da assistência pré-natal em mulheres atendidas em um serviço de emergência obstétrica de alto risco do Recife. Metodologia: estudo epidemiológico de corte-transversal, realizado na triagem obstétrica do Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros da Universidade de Pernambuco. Dados coletados por meio de entrevista, com avaliação do cartão da gestante e ficha perinatal. Resultados: foram entrevistadas 72 gestantes com idades entre 13 e 39 anos. A classificação do pré-natal revelou que 15,2% das participantes tiveram assistência pré-natal adequada, 25% intermediária e 59,7% inadequada. Das inadequações encontradas, destacou-se o déficit de registro de procedimentos clínico-obstétricos (91,6%). Conclusões: O registro da prática clínica no cartão da gestante nem sempre é valorizado durante as consultas e esse dado constitui um dos principais obstáculos para o aperfeiçoamento da qualidade da assistência ao pré-natal. Contribuições para a enfermagem: é necessário estímulo à equipe de saúde quanto ao registro adequado das atividades no cartão da gestante. Descritores: qualidade da assistência à saúde; cuidado pré-natal; saúde da mulher.


Referências:
1. DOMINGUES, RMSM et al. Avaliação da adequação da assistência pré-natal na rede SUS do município do Rio de Janeiro, Brasil. Cad. Saúde pública, Rio de Janeiro, 28 (3): 425-437, mar, 2012. 2. ALMEIDA SD de M, Barros MB de A. Eqüidade e atenção à saúde da gestante em Campinas (SP), Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2005;17(1):15-25. 3. SILVA MB, Monteiro OS. Adequação do pré-natal em gestantes atendidas na estratégia de saúde da família em palmas, 2009. Com. Ciências Saúde. 2010;21(1):21-30