Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 966


966

HIPODERMÓCLISE EM CUIDADOS PALIATIVOS: RELATO DE EXPERIÊNCIA

Autores:
Arthenize Riame Praia Guimarães Carobeira de Araújo (riame.pg@gmail.com) (Universidade Paulista (UNIP/AM); HUGV-EBSERh) ; Raquel de Souza Praia (UCES/BA/AR; UNATI/UEA/AM) ; Ciro Félix Oneti (UNATI/UEA/AM) ; Helena Figueiredo Felisbino Barbosa Bondim (Unidade de Reabilitação do Hospital Escola São Francisco de Assis- UFRJ) ; Cristina Oliveira de Oliveira (Universidade Paulista (UNIP/AM); HUGV-EBSERh) ; Renata Trindade Nunes (HUPD/MA)

Resumo:
Descritores: hipodermóclise; cuidados paliativos. Introdução: a enfermagem busca amenizar o sofrimento com o uso de técnicas modernas e com embasamento científico. Dentre elas destaca-se a hipodermóclise, que é reconhecidamente uma estratégia benéfica e pode ser uma alternativa à punção venosa convencional. O cuidado de enfermagem domiciliar baseia-se na resolução Cofen n. 267/2001. Nossa profissão promove um cuidado que compreende inclusive a orientação de familiares em procedimentos de auxílio. Objetivo: destacar as vantagens da utilização da técnica da hipodermóclise na administração de fluidoterapia e medicação ao paciente idoso oncológico em cuidados paliativos. Metodologia: trata-se de um relato de experiência do cuidado em domicilio de uma paciente em cuidados de recuperação do câncer. Os achados observacionais foram pautados nas referências literárias. Resultados: constatou-se que a hipodermóclise tem sido muito eficiente em administrações medicamentosas que não requerem ação imediata. Também é viável por reduzir a ocorrência de perda de acesso. Com o paciente idoso oncológico deve-se considerar uma expectativa e levar em consideração os riscos e benefícios da quimioterapia e a presença de comorbidades. Conclusão: essa técnica de administração de fluidoterapia muito tem a auxiliar na manutenção de um acesso medicamentoso por mais tempo. Os cuidados tem por objetivo efetuar o controle de sinais e sintomas do corpo, fornecendo o conforto desejado. Contribuições para a enfermagem: esta técnica contribui com a redução do sofrimento do paciente, logo o enfermeiro se beneficiará com a redução do desconforto do paciente idoso oncológico no sentido de promover uma assistência mais humanizada.


Referências:
1. Canpbell M. Nurse to nurse- Cuidados paliativos em enfermagem. Porto Alegre: Amgh; 2011. 2. Bifulco VA, Fernandes- Júnior HJ, coordenadores. Cancer: uma visão multiprofissional. Barueri, SP: Minha Editora; 2014. 3. Del Giglio A, Karnakis T, Kaliks R, Jacob- Filho W, coordenadores. Oncogeriatria: uma abordagem multidisciplinar. Barueri, SP: Manole; 2012.