Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1022


1022

Impacto do Envelhecimento da Equipe de Saúde para a Prática Profissional na Atenção Básica

Autores:
Cassia Gonçalves Santos da Silveira (cassiasintuperj@gmail.com) (Universidade Federal Fluminese- UFF) ; Barbara Pompeu Christovam (Universidade Federal Fluminese- UFF) ; Marcia Cristiane de Lima Peixoto (Universidade Federal Fluminese- UFF) ; Deise Ferreira de Souza (Universidade Federal Fluminese- UFF) ; Maycon de Oliveira Theobald (Universidade Federal Fluminese- UFF) ; Claudia Christy Tenório (Universidade Federal Fluminese- UFF)

Resumo:
Introdução: A condição em que transcorre do envelhecimento humano transcende ao indivíduo e é uma das maiores conquistas culturais de um povo em seu processo de humanização. Objetivo: analisar produções científicas acerca do envelhecimento da equipe de saúde associado a capacidade de trabalho e a prática profissional. Método: revisão integrativa, realizada em julho de 2017, período de 2008 a 2017 em todos os idiomas, nas bases de dados LILACS, IBECS, MEDLINE, CINAHL, Web of Science e Cochrane, com a questão: Há evidências na literatura acerca do processo de envelhecimento da equipe de saúde associado a capacidade de trabalho e a prática profissional na atenção primária à saúde? Resultados: total 2022 artigos, selecionado 12 (100%) método quantitativo, sendo que: 09 (75%) utilizaram o ICT que mede a capacidade para o trabalho; 02 (16,7%) utilizaram Web pesquisa e 01produção (8,3%) utilizou-se de Avaliações Médicas Multidisciplinares. Os resultados em relação a validade e a confiabilidade do Índice de Capacidade para o Trabalho e sua aplicabilidade em pesquisas na área de saúde ocupacional, foram evidentes. As produções tratavam do processo de envelhecimento e da capacidade para o trabalho, não se apresentou para os profissionais de saúde em atenção básica, nos mostrando a grande lacuna de conhecimento. Conclusão: tanto a saúde mental quanto a física previnem a boa capacidade de trabalho futura e auxiliam nas intervenções organizacionais e geram reflexões importantes. O Brasil deve manter e até mesmo aumentar a participação no trabalho de funcionários mais velhos. Considerações finais e contribuições: produção de novos conhecimentos na área de Saúde do Trabalhador de Enfermagem, com ênfase na gerência do cuidado à saúde no processo de envelhecimento desses profissionais, além de fomentar o desenvolvimento de outras pesquisas nestas áreas e propiciar transformações na prática de gestores e profissionais em enfermagem.


Referências:
1. Farinatti PTV. Teorias biológicas do envelhecimento: do genético ao estocástico. RevBrasMed Esporte. (8)4: Jul/Ago 2002. [Citado 2017 Jul 12]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v8n4/v8n4a01 2. Giatti L. Barreto SM. Saúde, trabalho e envelhecimento no Brasil. Cad. Saúde Publica 2003; 19(03): 759-771. [itado 2017 Jul 24]. Disponível em: http://www.scielosp.org/pdf/csp/v19n3/15879.pdf 3. Izu M; Silvino ZR; Cortez EA. Capacidade para o trabalho da equipe de enfermagem de um hospital público federal no Rio de Janeiro. Art. Online Brazilian Journal of Nursing (ONLINE BRAZ J NURS), 2016; [citado 2017 Jul 18]. Disponível em: http://www.objnursing.uff.br/index.php/nursing/article/view/5393 4. Tuomi K, Ilmarinen J, Jahkola A, Katajarinne L, Tulkki A. Índice de capacidade para o trabalho. Traduzido por Frida Marina Fischer (cood), São Carlos: EdUFSCAR, 2010. 59P.