Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1089


1089

A INTEGRAÇÃO DAS DIMENSÕES BIOPSICOSOCIOCULTURAL E ESPIRITUAL NO CUIDADO DE ENFERMAGEM

Autores:
Diva Thereza dos Santos Pilotto (divapilotto@yahoo.com.br) (Universidade Federal Fluminense - Hospital Universitário Antônio Pedro) ; Ana Maria Ferraz Barros (Universidade Federal Fluminense - Hospital Universitário Antônio Pedro)

Resumo:
A INTEGRAÇÃO DAS DIMENSÕES BIOPSICOSOCIOCULTURAL E ESPIRITUAL NO CUIDADO DE ENFERMAGEM Ana Maria Ferraz Barros1, Diva Thereza dos Santos Pilotto2 Objetivo: Refletir sobre o cuidado de enfermagem nas dimensões biopsicosociocultural e espiritual, a partir das estratégias de grupos de apoio. Métodos: Foi utilizada a dinâmica de grupo (grupos focais) e os participantes discutiram o cuidado de enfermagem integral à luz das referências dos teóricos Winnicott1 e Spinoza2. Os cenários de prática foram os grupos de atendimento a pessoas vivendo com HIV/Aids e o atendimento a mulheres em pós-parto. Resultados: O cuidado integral ultrapassa as fronteiras da terapêutica, focando na democratização das relações como espaço de reflexão e negociação de novos objetivos e meios de produção3. O trabalho em grupo possibilitou uma reflexão sobre a capacidade dos indivíduos (mentes e corpos) de aumentar sua potência de agir e de pensar, ou seja, o "desejo" de viver. O trabalho com as mulheres em pós-parto, por suas especificidades, remete à incorporação dos conceitos winnicottianos de holding, handling e object-presenting1, que implicam ser a mulher "mãe suficientemente boa para cuidar do seu filho", mesmo que no cenário hospitalar. Conclusão: As estratégias para um cuidado integral estão baseadas no estabelecimento de vínculo entre os profissionais e os usuários e familiares, e na escuta do desejo do outro, transformando encontros intersubjetivos em pontes para geração de autonomia e cidadania. Implicações para a Enfermagem: O estudo incorpora referenciais que ampliam a concepção do ser nas suas múltiplas dimensões, qualificando a prática de enfermagem. Descritores: Cuidados de Enfermagem, Acolhimento, Atitude Frente à Saúde.


Referências:
1. Winnicott, DW. Os bebês e suas mães. São Paulo: Martins Fontes; 2006. 2. Leme, AP. Spinoza: o conatus e a liberdade humana. São Paulo: Departamento de Filosofia da FFLCH-USP, 2013. 3. Merhy, EE et al. Integralidade e transversalidade das necessidades de saúde nas linhas de cuidado. Movimentos moleculares na micropolítica do trabalho em saúde. Campinas (SP); Unicamp: 1999.