Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1173


1173

O PROCESSO DE MORTE E MORRER PARA ENFERMAGEM: REVISÃO INTEGRATIVA DE LITERATURA

Autores:
Glaudston Silva de Paula (glaudstondepaula@gmail.com) (Faculdade Gama e Souza) ; Antonio Marcos Tosoli Gomes (Universidade do Estado do Rio de Janeiro) ; Caren Camargo do Espírito Santo (Faculdade Gama e Souza) ; Bruno Rafael Gomes Valois (Faculdade Gama e Souza) ; Virginia Xavier Pereira da Silva (Faculdade Gama e Souza) ; Juliana Pereira Domingues (Faculdade Gama e Souza)

Resumo:
Introdução: Este estudo tem por objeto o processo de morte e morrer para a enfermagem e como objetivo identificar na literatura nacional a produção da enfermagem sobre a temática morte. Metodologia: Revisão integrativa de literatura de caráter descritivo e exploratório, realizada na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), entre os anos de 2006 a 2017. Foram encontradas 640 produções bibliográficas, destes somente 19 vão ao encontro do objeto, sendo a bibliografia potencial. Resultado: O processo de morte e o morrer é pouco discutida durante sua a formação do enfermeiro, não obstante a inserção da Tanatologia em alguns currículos a fim de suprir a carência neste processo. Muitas vezes, a equipe de enfermagem se vê impotente, frustrada, culpada e irritada, não sabendo ao certo como se posicionar frente ao sofrimento e à dor que, na maioria das vezes, não pode ser aliviada, além de, também, ter que vivenciar perdas de pacientes, cuja convivência possibilitou o estabelecimento de vínculos intensos. Conclusões: Observa-se deficiência na formação do profissional, o que reflete no processo de cuidar do paciente em condição de terminalidade da vida. Contribuições ou implicações para a Enfermagem: Debruçar-se sobre a temática possibilita o profissional maior reflexão, de tal forma que conflitos sejam evitados e não interfiram no processo de trabalho. A bibliografia potencial reforça que os conceitos tanatológicos ainda são poucos discutidos no espaço acadêmico, uma vez que a formação prioriza os aspectos que promovem e mantém a vida e não o preparo e enfrentamento para a morte ( ABRAO, et al, 2013; BANDEIRA, 2014). Descritores: Morte, Morrer, Enfermagem.


Referências:
ABRAO, F.M.S. et al. Representações sociais de enfermeiros sobre a religiosidade ao cuidar de pacientes em processo de morte. Rev. bras. enferm. [online]., vol.66, n.5, pp. 730-737, 2013. BANDEIRA, D. et al. A morte e o morrer no processo de formação de enfermeiros sob a ótica de docentes de enfermagem. Texto & Contexto Enfermagem, vol. 23, no. 2, p. 400 - 407, 2014.