Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1212


1212

ESCALAS UTILIZADAS COMO PROFILAXIA PARA LESÕES POR PRESSÃO EM PACIENTES CRÍTICOS: UMA REVISÃO DE LITERATURA

Autores:
Isabella de Carvalho Lemos (z-abe@hotmail.com) (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL) ; Geórgia Maria Ricardo Félix dos Santos (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - UNCISAL)

Resumo:
Considerada como uma ferida crônica, a lesão por pressão é classificada como um evento adverso e consiste em uma complicação tecidual evitável, em que pacientes em estado crítico representam um grupo de risco devido à gravidade da condição clínica. Diversos autores desenvolveram escalas de análise de risco aplicadas para prevenir lesão por pressão, dentre as quais, a mais citada na literatura é a de Braden, Norton e Waterlow. O objetivo do presente estudo foi averiguar e comparar informações a respeito da especificidade e aplicabilidade das escalas e qual a mais aplicada pelo enfermeiro. Foi realizado um levantamento bibliográfico do período de 2008 a 2017, sendo selecionados 15 artigos, utilizando a biblioteca virtual em saúde DeCS para pesquisa das literaturas científicas nas bases de dados BIREME e PubMed e os descritores utilizados foram lesão por pressão, medição de risco, período crítico, enfermagem. Verificou-se que dos 15 artigos selecionados, 6 destes afirmaram que a Escala de Norton não contempla alguns fatores de risco. 8 artigos afirmaram que a Escala de Waterlow é a única que avalia a pele e 13 artigos afirmaram que a Escala de Braden é a única que avalia a percepção sensorial, além de ser recomendado pela maioria dos autores o uso das escalas auxiliando o profissional de enfermagem. Portanto, segundo a maioria dos autores, devido a Escala de Braden possuir maior especificidade é utilizada com maior frequência e é imprescindível a capacitação da equipe de enfermagem para que esteja atenta à adoção de instrumentos como escalas preditivas para melhorar a qualidade de assistência ao paciente.


Referências:
ARAÚJO, T. M. et al. Comparação de escalas de avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes em estado crítico. Rev. paul. enferm. São Paulo. 2011.