Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1213


1213

A vivência de acadêmicos na pratica da Sistematização da Assistência de Enfermagem em uma Unidade de Terapia Intensiva

Autores:
Isadora Caldeira Belini (doracbelini@gmail.com) (Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)) ; Edna Aparecida Barbosa de Castro (Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)) ; Kelli Borges dos Santos (Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)) ; Rafhaela Carolina de Almeida Assis (Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF)) ; Daniela de Souza Motta (Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF))

Resumo:
Introdução: No período de 2013 e 2014, graduandos de enfermagem da Faculdade de Enfermagem (FACENF) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), iniciaram um movimento para fundação da Liga Acadêmica de Sistematização da Assistência de Enfermagem (LASAE). A LASAE, se baseia em ensino, pesquisa e extensão, participa no processo de ensino e aprendizagem dos acadêmicos de enfermagem e aprofunda o estudo sobre SAE, fortalecendo a enfermagem como ciência e profissão. O profissional deve ser capaz de identificar, diagnosticar e solucionar problemas de saúde, intervir, comunicar e tomar decisões no processo de trabalho, além de trabalhar em equipe (1,2). Objetivo: Relatar a experiência de acadêmicos de enfermagem na prática do desenvolvimento da Sistematização da Assistência em Enfermagem (SAE) através de estágios da LASAE. Metodologia: Trata-se de um relato de experiência da prática da SAE, dentro de uma Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), nos anos de 2014 e 2015 em um Hospital Universitário de município da zona da mata mineira. Resultados: Foi vivenciada a prática da equipe de enfermagem. Observou-se a dinâmica do exercício profissional, o processo da sistematização, o tipo de assistência prestada e as dificuldades e facilidades encontradas. Além disso, os estagiários participaram ativamente na manutenção e melhoria dos instrumentos utilizados. Conclusões: Conclui-se que o processo da SAE sofre dificuldades de operacionalização, os profissionais que prestam a assistência não têm conhecimento da importância da realização de diagnóstico, intervenção e evolução do paciente, os instrumentos e impressos são precários e existe uma mistificação de burocratização da assistência. Foi imprescindível para os estagiários a experiência de poder correlacionar a teoria e a prática. Contribuições ou implicações para a Enfermagem: As possibilidades abertas pela LASAE permitem enfatizar a importância da temática e contribuem para a formação de um futuro profissional ciente das responsabilidades, deveres e funções exercidas, garantindo uma assistência de qualidade. Descritores: Prática profissional; Enfermagem; Assistência


Referências:
1. PEREIRA, Mariana Galvão et al. Liga Acadêmica de Sistematização da Assistência de Enfermagem: um relato de experiência. Renome, v. 5, n. 1, p. 85-96, 2016. 2. COFEN. Resolução 358/2009. Dispões sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem e a Implementação do Processo de Enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem, e dá outras providências.