Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1219


1219

Fatores de risco modificáveis em usuárias e não usuárias de anticoncepcionais hormonais combinados com Acidente Vascular Cerebral

Autores:
Izabel Cristina de Souza (izabelsouza@alu.ufc.br) (Universidade Federal do Ceará) ; Adman Câmara Soares Lima (Universidade Federal do Ceará) ; Karízia Vilanova Andrade (Universidade Federal do Ceará) ; Escolástica Rejane Ferreira Moura (Universidade Federal do Ceará) ; Priscila de Souza Aquino (Universidade Federal do Ceará)

Resumo:
Introdução: Os fatores de risco que contribuem para o acidente vascular cerebral (AVC) são classificados em modificáveis e não-modificáveis. O uso de anticoncepcionais hormonais combinados (AHC) associado a outros fatores, como dislipidemia, alcoolismo, tabagismo e inatividade física pode potencializar o risco de AVC. Objetivo: Verificar a relação entre fatores de risco modificáveis e ocorrência do AVC entre usuárias e não-usuárias de AHC. Metodologia: Estudo observacional de coorte ambidirecional. Coleta de dados ocorreu de outubro de 2015 a outubro de 2016 em três hospitais públicos do município de Fortaleza, Ceará. A população correspondeu às mulheres em idade fértil acometidas por AVC e internadas nos hospitais participantes da pesquisa, perfazendo o total de 105 sujeitos. As participantes foram divididas em dois grupos: G1U, usuárias de AHC antes do AVC e o G2NU, que não utilizavam AHC. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Federal do Ceará (UFC) com parecer n. 1.282.922. Resultados: O G2NU apresentou mais mulheres com dislipidemia (20%), alcoolistas (21,2%), tabagistas (23,9%) e sem atividades físicas (86,2%), não havendo relação estatística significante entre os fatores de risco e o grupo de usuárias ou não de AHC, com valores de p maiores que 0,05. Conclusões: No presente estudo não pode ser comprovada associação entre os fatores de risco modificáveis e o uso de AHC entre mulheres jovens com AVC, mas percebe-se a ocorrência desses fatores nas jovens acometidas por AVC. Contribuições ou implicações para a Enfermagem: Faz-se necessário que o profissional de enfermagem conheça bem os fatores de risco existentes durante o uso de AHC e que faça orientações importantes às usuárias (principalmente àquelas cujos critérios permitam a utilização do método), qualificando a assistência de enfermagem e prevenindo agravos à saúde.


Referências:
Referências: moro, c.h.c.; fábio, s.r.c.; Longo, A.L.; Massaro, A.R.; Oliveira Filho, J.; Vedolin, L.; Friedrich, M.A.G.; et al. Programa de aperfeiçoamento continuado no tratamento do acidente vascular cerebral: Peragallo Urrutia, R.; Coeytaux, R.R.; McBroom, A.J.; Gierisch, J.M.; Havrilesky, L.J.; Moorman, P.G.; Lowery, W.J.; Dinan, M.; Hasselblad, V.; Sanders, G.D.; Myers, E.R. Risk of Acute thromboembolic Events With Oral Contraceptive Use. Obstet Gynecol. v.122, n.2 Pt 1, p.380-9, aug. 2013.