Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1304


1304

Relato de Experiência: Assistência de enfermagem ao pré-natal

Autores:
Laís Stephany Sarmento Vilela (laisvilela95@gmail.com) (Centro Universitário CESMAC - AL) ; Nathalia Lima Silva (Centro Universitário CESMAC - AL) ; Marilúcia Mota Morais (Centro Universitário CESMAC - AL)

Resumo:
Introdução: a assistência adequada à gestação e ao parto é essencial para reduzir os índices de morbimortalidade materno-infantil. O objetivo do acompanhamento pré-natal é assegurar o desenvolvimento da gestação, permitindo o parto de um recém-nascido saudável, sem impacto para a saúde materna, inclusive abordando aspectos psicossociais e as atividades educativas e preventivas (BRASIL, 2013; PEDRAZA, Dixis Figueroa, 2016) Deste modo mantendo uma qualidade de vida durante o período da gestação. Objetivo: Relatar a experiência de um grupo de acadêmicos ante a assistência ao atendimento nas consultas de pré-natal. Metodologia: A experiência foi proporcionada pela disciplina Práticas Integrativas em Saúde III, que tem como um dos eixos o atendimento a gestantes. Sob orientação da professora responsável, os acadêmicos realizaram procedimentos previamente estudado que são essenciais na consulta de pré-natal, como por exemplo: verificação de pressão arterial, cálculo de IMC, cálculo de Idade Gestacional e data provável de parto, manobra de leopold, ausculta dos batimentos cardio fetais. Realizado também o preenchimento da caderneta da gestante disponibilizada pelo Ministério da Saúde. Resultados: através destes procedimentos é possível que o acadêmico, quanto futuro profissional aprenda a ter destreza das técnicas, flexibilidade e boa comunicação com os pacientes. Conclusão: O trabalho de enfermagem no pré-natal é de suma importância para a comunidade local envolvida, haja vista é uma consulta mais rica em detalhes, devendo o profissional enfermeiro ser qualificado a perceber possíveis complicações a tempo de reverte-las. Contribuições Para Enfermagem: É papel do enfermeiro o vínculo com o a gestante para assim garantir o seu comparecimento em todas as consultas. Através desta experiência foi possível perceber que quase todas as gestantes não planejavam engravidar, outro ponto que o profissional deve melhorar, é o planejamento familiar como forma de educação em saúde. Descritores: Gravidez; Enfermagem obstétrica; Obstetrícia.


Referências:
1.PEDRAZA, Dixis Figueroa. Assistência ao pré-natal, parto e pós-parto no município de Campina Grande, Paraíba. Cadernos Saúde Coletiva, [s.l.], v. 24, n. 4, p.460-467, dez. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cadsc/v24n4/1414-462X-cadsc-24-4-460.pdf 2. BRASIL. Ministério da Saúde. Atenção ao pré-natal de baixo risco. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. 1. ed. rev. - Brasília : Editora do Ministério da Saúde, 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_32_prenatal.pdf