Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1430


1430

FORMAÇÃO PROFISSIONAL NO CONTEXTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE.

Autores:
Matheus Emanoel Militão Melo (emanoelmilitao@hotmail.com) (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Ana Paula Miyzawa (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Julia Mylena Militão Melo (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Djaneide Carla Gonzaga Ventura dos Santos (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Tânia Maria Alves Bento (Centro Universitário Tiradentes - UNIT) ; Bianca Bezerra Leite (Centro Universitário Tiradentes - UNIT)

Resumo:
INTRODUÇÃO: Ao discutir a formação dos trabalhadores dos serviços de saúde é necessário compreender a Política Nacional de Recursos Humanos - PNRH e sua relação com os ideais que permearam o processo de construção do Sistema Único de Saúde -SUS (BRASIL, 2003). Atualmente, a configuração da PNRH, reflete acontecimentos que criaram novas realidades administrativas e desafios políticos, tais comoa precarização do trabalho, ou ainda, a necessidade de formar trabalhadores com maior qualificação profissional. OBJETIVO: Discutir as principais diretrizes estabelecidas para a formação da força de trabalho doSUS. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo descritivo, qualitativo, realizado através de revisão de literatura utilizando publicações do Ministério da Saúde e artigos encontrados nas bases de dados Lilacs e SciELO.RESULTADOS: As Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos da saúde preconizam a formação de profissionais críticos, capazes de trabalhar em equipe, levando em conta a realidade social, avaliando e decidindo a conduta mais apropriada, fortalecendo a autonomia dos sujeitos na produção da saúde. Apenas em 2005, a Política Nacional de Educação em Saúde oficializou a cooperação técnica entre os Ministérios da Educação e da Saúde para formação e desenvolvimento dos profissionais do SUS.CONCLUSÃO: Embora tenha havido uma considerável evolução no desenvolvimento de políticas de formação dos profissionais da saúde, ainda são grandes os desafios para garantir o desenvolvimento de ações intersetoriais que reputem o Ministério da Educação como regulador da educação superior e o Ministério da Saúde enquanto responsável pelos serviços de saúde que recebem os profissionais.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Coordenação Geral da Politica de Recursos Humanos. Politica de Recursos Humanos para o SUS: Balanço e perspectivas / Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-GeraI da Politica de Recursos Humanos. - Brasília: Ministério da Saúde, 2003.