Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1495


1495

Adesão à Higienização das Mãos no Serviço de Oncologia

Autores:
Quezia Santana dos Santos (queziasantanaa@yahoo.com.br) (Universidade Federal de Sergipe) ; Gilvan Gomes da Silva (Universidade Federal de Sergipe) ; Ana Paula Batista dos Santos (Universidade Federal de Sergipe) ; Thialla Andrade Carvalho (Universidade Federal de Sergipe) ; Eliana Ofélia Llapa Rodiguez (Universidade Federal de Sergipe e University of British Columbia)

Resumo:
Introdução: A higiene das mãos (HM) é considerada a medida mais eficaz e simples no controle e prevenção das infecções relacionadas à assistência a saúde (IRAS).O Programa da OMS e a legislação brasileira enfatizam as oportunidades em que se deve realizar a HM: antes do contato com paciente, antes da realização de procedimento asséptico, após exposição a fluidos corporais, após contato com paciente e após contato com ambiente próximo ao paciente. Objetivos: Avaliar a taxa de adesão à HM dos profissionais de saúde que prestam assistência nos serviços de oncologia de um hospital público. Metodologia: Estudo descritivo transversal, utilizando a observação e registros dos fenômenos, realizado em enfermarias oncológicas (adulta e pediátrica) de um Hospital Público. A coleta de dados aconteceu entre dezembro de 2013 e dezembro de 2014, utilizando o instrumento proposto pela OMS para a adesão aos cinco momentos da HM, formulário 34 da OMS. A tabulação dos dados e estatística descritiva foi realizada em software excel 2007 e a estatística analítica em software Graph Pad prism 5.0. Resultados: Observou-se 1397 oportunidades dos cinco momentos para a HM. A taxa de adesão global à HM foi de 29% e a taxa de adesão por categoria profissional variou de 18% a 38%. A utilização de água e sabão ocorreu em 85% (344) das oportunidades em que se realizou a HM, já o uso do álcool gel aconteceu em apenas 15% (63) destas. A maior taxa de adesão a HM detectada foi no terceiro momento, após fluidos corporais (41%). Conclusão: A taxa de adesão à HM, pelos profissionais de saúde apresenta fragilidades . Espera-se que este estudo possibilite reflexão sobre a importância da HM na qualidade da assistência, bem como para criação de estratégias multimodais para redução de IRAS especialmente no serviço de oncologia.


Referências:
Brasil. Portaria Nº 529, de 1º de abril de 2013. - Institui o Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Portal da ANVISA 2014. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis Brasil. Resolução de Diretoria Colegiada, RDC 36 de 25 de julho de 2013. Institui ações para a segurança do paciente em serviços de saúde e dá outras providências. Portal da ANVISA. 2014. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br World Health Organization. Hand hygiene technical reference manual: to be used by health-care workers, trainers and observers of hand hygiene practices. Trad. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasil: ANVISA, 2015.