Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1648


1648

Colegiado SAE/ CIPE®: espaço de construção dialógica para a prática de enfermagem.

Autores:
Cássia Barbosa Reis (cassia@uems.br) (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) ; Fabiana Perez Rodrigues Bergamaschi (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) ; Margareth Soares Dalla Giacomassa (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) ; Marcia Adriana Fokura Ferndandes Souza (Secretaria Municipal de Saúde de Dourados/MS) ; Luzimeire dos Santos Teixeira (Secretaria Municipal de Saúde de Dourados/MS) ; Flávia Claudia Krapiec Jacob de Brito (Secretaria Municipal de Saúde de Dourados/MS)

Resumo:
INTRODUÇÃO. A sistematização da assistência de enfermagem (SAE), regulamentada no Brasil desde 2002, refere-se á organização do processo de trabalho da enfermagem quanto ao método, pessoal e instrumentos possibilitando o desenvolvimento do Processo de Enfermagem (PE). Entretanto, na prática assistencial evidenciam-se ainda inúmeros conflitos no desenvolvimento da SAE e do PE que dificultam o cuidado sistematizado, bem como a documentação desse e consequentemente do fortalecimento da identidade profissional. OBJETIVO. Relatar a experiência da construção do colegiado da SAE/ CIPE® no município de Dourados-MS para a implantação da SAE e desenvolvimento do PE na Atenção Básica. MÉTODO. Trata-se de um relato de experiência das discussões realizadas em encontros do Colegiado da SAE/ CIPE®, instituído no município de Dourados. RESULTADO. A construção do colegiado da SAE se deu em 2015 pela necessidade de construir um espaço de discussão científica e prática que embasasse os enfermeiros da atenção básica no desenvolvimento do PE com vistas à sistematização da assistência, sendo uma iniciativa da ABEN/MS com a parceira do curso de enfermagem da UEMS como apoio teórico científico. As discussões vivenciadas nos encontros do colegiado foram dialógicas, onde os atores envolvidos foram identificando suas fragilidades, como a confusão entre os conceitos de SAE e PE, o desconhecimento da aplicabilidade das Teorias de Enfermagem e das taxonomias, entre elas CIPE®. A partir disso foram realizadas diversas atividades no conceito de educação permanente para aprendizagem e construção de catálogos CIPE® de diagnósticos e intervenções de enfermagem, por meio de oito grupos de trabalhos temáticos por linhas de cuidado. CONCLUSÃO. A construção do colegiado da SAE/ CIPE® estabeleceu um espaço permanente de reflexão para a prática assistencial da enfermagem na atenção básica sendo um marco de mudança de paradigma da prática profissional e do processo do cuidar, estando em processo de redação final de quatro subconjuntos.


Referências:
GARCIA, T.R. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem - CIPE®: aplicação à realidade brasileira. Porto Alegre: Artmed, 2015.