Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1687


1687

Experiência do enfermeiro em defesa do direito à saúde da população privada de liberdade

Autores:
Amarildo Maçaneiro (mamarildo@hotmail.com) (Centro de Pesquisas Oncológicas / Universidade Federal de Santa Catarina) ; Ana Inêz Severo Varela (Centro de Pesquisas Oncológicas / Universidade Federal de Santa Catarina) ; Alacoque Lorenzini Erdmann (Universidade Federal de Santa Catarina) ; Luciana Martins da Rosa (Universidade Federal de Santa Catarina) ; José Luís guedes dos Santos (Universidade Federal de Santa Catarina) ; Gisele Martins Miranda (Centro de Pesquisas Oncológicas / Universidade Federal de Santa Catarina)

Resumo:
INTRODUÇÃO: O acesso pela assistência da equipe de saúde é um dos problemas enfrentados pelas pessoas privadas de liberdade, visto que, ocorre dificuldades como: locomoção, condições clínicas e vergonha pelas algemas. Nesse sentido, como alternativa ao diagnóstico de alguns agravos, no final da década de 1980 foi desenvolvida a estratégia dos Testes Rápidos. OBJETIVO: Relatar a experiência na realização dos Testes Rápidos aplicados e apresentar dados estatísticos da demanda de atendimento. METODOLOGIA: Estudo descritivo, tipo relato de experiência desenvolvido no período de fevereiro de 2016 a maio de 2017, no Complexo Penitenciário de Florianópolis, cenário do estudo. A população envolvida é a população privada de liberdade da penitenciária e o presídio, totalizando 1940 pessoas. No período do estudo foram realizados mais de 812 testes tendo como respostas 27 positivos, sendo sífilis (43), hepatite C (7), hepatite B (3) e HIV (19). RESULTADOS: É de suma importância a aplicação, o controle e avaliação dos Testes Rápidos pelos profissionais da saúde que exercem suas atividades na unidade básica de saúde no sistema penitenciário brasileiro. CONCLUSÃO: Ressalta-se como caráter positivo o despertar dos enfermeiros para novas pesquisas baseadas em suas vivências, com o propósito de identificar e mensurar indicadores de desempenho de enfermagem em suas unidades de trabalho. CONTRIBUIÇÕES PARA A ENFERMAGEM: Além de propiciar a garantia do direito constitucional à saúde das pessoas privadas de liberdade, o estudo contribuiu para a aquisição de novos conhecimentos, para a avaliação da prática assistencial e crescimento profissional, dando maior visibilidade ao trabalho em Enfermagem. DESCRITORES: Enfermagem. Educação em saúde. Unidade Básica de Saúde


Referências:
Departamento de Administração Prisional - Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania - DEAP, 2017. Disponível em: < http://www.deap.sc.gov.br/index.php/unidades-prisionais/17-grande-florianopolis/435-presidio-masculino-de-florianopolis>. Acesso em: 10 de jul. 2017.