Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1704


1704

EVIDÊNCIAS SOBRE AUTONOMIA E INTEGRAÇÃO DOS USUÁRIOS TRANSEXUAIS EM ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

Autores:
Denildo de Freitas Gomes (enffreitas@hotmail.com) (EEAAC - UFF) ; Marta Sauthier (EEAN/UFRJ) ; Graciele Orosky Paes (EEAN/UFRJ) ; Enéas Rangel Teixeira (EEAAC/UFF)

Resumo:
RESUMO: Introdução: O objeto do estudo foi o reconhecimento dos usuários transexuais na assistência em saúde. Objetivos: identificar as publicações indexadas em banco de dados; caracterizar essas produções e analisar os resultados com apoio teórico em Axel Honneth4, oferecendo uma síntese dessas publicações. Metodologia: Revisão integrativa da literatura, qualitativa e descritiva. A questão constituiu-se em quais são as evidências sobre vulnerabilidades e integração dos usuários transexuais para seu reconhecimento nos cuidados em saúde? Resultados: As discussões versaram sobre modelo biomédico e invisibilidade desses usuários estigmatizados, perpassando pelo processo de trabalho deficitário, por falta de conhecimentos sobre questões socioculturais de gênero e técnicas. Conclusão: A realidade descrita é inversa à integralidade da assistência que se deseja, distante da equidade pretendida, sensíveis à vulnerabilidade da população em estudo. Esses usuários, concebidos com rótulos pré-determinados, são sujeitos integrantes da comunidade em que a aceitação e convívio dependem de mudança de paradigma, primando pela assistência/cuidado recebido.


Referências:
REFERÊNCIAS 1. Ministério da Saúde. (BR) Pacto pela Saúde. Portaria nº 399/GM, de 22 fev. 2006. 2. Toneli, Maria Juracy & Amaral, Marília (2013). Sobre travestilidades e políticas públicas: como se produzem os sujeitos da vulnerabilidade. In Henrique Caetano Nardi, Raquel da Silva Silveira & Paula Sandrine Machado (Orgs.), Diversidade Sexual, Relações de Gênero e Políticas Públicas (pp. 15-31). Porto Alegre: Sulina. 3. Ministério da Saúde.(BR). Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa. Departamento de Apoio à Gestão Participativa. Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais / Ministério da Saúde, Secretaria de Gestão Estratégica e Participativa, Departamento de Apoio à Gestão Participativa. LGBT, 2013 4. Honneth, A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. (2011) São Paulo: Ed.34, 296p. 5. Ministério da Saúde. (BR). Humaniza SUS: Política Nacional de Humanização: a humanização como eixo norteador das práticas de atenção e gestão em todas as instâncias do SUS / Ministério da Saúde, Secretaria-Executiva, Núcleo Técnico da Política Nacional de Humanização. - Brasília: Ministério da Saúde, 2004. 6. Reis, A.G. ; Sauthier, M. ; Soares, A. M. M. . O cuidado de enfermagem como ampliação das relações de reconhecimento: uma abordagem a partir da perspectiva de Axel Honneth. In: SOARES, André Marcelo M.. (Org.). Outro ângulo: reflexões acerca do humano. 1ed.Rio de Janeiro: Publit, 2015, v. , p. 93-100. 7. Bardin, L. Análise de conteúdo.(2011) São Paulo: Edições 70, 229 p. 8. Horvath, KJ, Lantafi A, Grey JÁ, Bockting,W. A Review of the Content and Format of Transgender-Related Webpages. Health Commun. 2012; 27(5): 457-466. 9. Meriggiola M.C, Berra M. Endocrinol Diabetes Obes. - Safety of hormonal treatment in trans genders. Journal Current Opinion in Endocrinology and Diabetes, 20(6), Dec, 2013. 10. Adams J, Dickinson P, Asiasiga A. Mental health promotion for gay, lesbian, bisexual, transgender and intersex New Zealanders . Journal of primary health care, 5 (2), JUNE 2013. 11. Deutsch M.B, Feldman J.L. Updated Recommendations from the World Professional Association for Transgender Health Standards of Care. (Edictorial) American Family Physician. 87(2), 2013 12. Louden, K. Largest Study to Date: Trangender Hormone treatment Safe.Medical News Medscape. Jul 02, 2014 13. Jucá, T.M.R; Quitete, J.B. Problematizando o diálogo sobre direitos sexuais e de gênero no ensino superior do curso de enfermagem na universidade federal fluminense XII CONAGES - XII Colóquio Nacional Representações Gênero e Sexualidade. Universidade Federal Fluminense/Campus Rio das Ostras. Disponível em www.generoesexualidade.com.br. Consultado em 20 de janeiro de 2017 14. Moreira M.A, Gomes A.J.M. Representações sociais de estudantes concluintes de enfermagem sobre transexualidade. Revista de Enfermagem UFPE on line. 7(5):4378-88, jun., 2013 15. Braz C, Souza, ER de. Antropologia e políticas de saúde para homens trans no Brasil contemporâneo - diálogos entre duas pesquisas. (TCC) Trabalho apresentado na 30ª Reunião Brasileira de Antropologia, , João Pessoa/PB, realizada entre os dias 03 e 06 de agosto de 2016. 16. Rogers J, Tesser-Júnior, Z.C, Moretti-Pires, R.O, Kovaleski D.F. Pessoas trans na Atenção Primária: análise preliminar da implantação no município de Florianópolis. Sau. & Transf. Soc, ISSN 2178-7085, Florianópolis, 7(3), p.49-58, 2016. 17. Santos A.B dos, Shimizu H.E. Merchan-Hamann E. Processo de formação das representações sociais sobre transexualidade dos profissionais de saúde: possíveis caminhos para superação do preconceito. Ciência & Saúde Coletiva, 19(11):4545-4554, 2014. 18. Ettner, R. Care of the elderly transgender patient. Journal Current Opinion in Endocrinology and Diabetes. 20 (6), Dec, 2013 19. Beagan B et al. Working with transgender clients: learning from physicians and nurses to improve occupational therapy practice. Canadian Journal of Occupational Therapy . 80(2), April, 2013. 20. Simons L.K, Leibowitz S.F, Hidalgo M.A. Understanding Gender Variance in Children and Adolescents. Pediatric Annals , 43, (6), 2014. 21. Cruz T.M. Assessing access to care for transgender and gender nonconforming people: A consideration of diversity in combating discrimination Journal Social Science & Medicine. 110, 65e73, 2014. 22. Matoso, L.M.L. O papel da enfermagem diante da homossexualidade masculina. Revista Santa Maria, 40, (2), Jul./Dez, p.27-34, 2014. 23. Henrique, L.de M.S. Representações sociais e integra lidade na assistência a saúde na população de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. (TCC) Biblioteca Setorial Especializada da Faculdade de Ciências da Saúde do Trairí, Santa Cruz: RN, 2015 24. Buchholz, L. Trangender care. Medical News & Perspectives (Artigo da Biblioteca da Universidade de West Virgínia) October 14, 2015 25. Whitehead J, Shaver J, Stephenson R . Outness, Stigma, and Primary Health Care Utilization among Rural LGBT Populations. PLoS ONE 11(1), 2016.