Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1713


1713

ROTA CRÍTICA DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA POR PARCEIRO ÍNTIMO: PERSPECTIVAS

Autores:
Eliete Maria Silva (elietemariasilva22@gmail.com) (Universidade Estadual de Campinas / Faculdade de Enfermagem) ; Daniella Yamada Baraggati (Universidade Estadual de Campinas / Faculdade de Enfermagem) ; Diene Monique Carlos (Universidade Estadual de Campinas / Faculdade de Ciências Médicas) ; Maria Neto da Cruz Leitão (Escola Superior de Enfermagem de Coimbra) ; Maria das Graças Bonfim de Carvalho (Universidade de São Paulo / Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto)

Resumo:
Introdução: A violência contra a mulher emerge como um grave problema de saúde pública e violação dos direitos humanos no mundo contemporâneo. Objetivos: Os objetivos deste estudo foram conhecer e analisar a rota crítica de mulheres em situação de violência perpetrada por parceiro íntimo até o Centro Especializado (CE) de um município brasileiro. Metodologia: Pesquisa qualitativa, junto a dez mulheres acompanhados pelo CE, realizada por meio de entrevistas em profundidade e observação participante. A análise dos dados se deu pela análise temática indutiva. Resultados: As mulheres buscam ajuda quando as agressões se tornam graves, reportando-se inicialmente aos filhos, mãe, amigas e irmãs. Passam por diversos setores e serviços antes do acesso ao CE, tais como policial, jurídico, saúde, social e comunitário. O atendimento é fragmentado e dependente da postura do profissional que as atende. O CE é reconhecido como importante local de apoio pelas mulheres. Conclusões: Além dos esforços governamentais para manter a rede de atendimento a mulheres em situação de violência estruturada, é fundamental a educação permanente dos profissionais atuantes. Implicações para a Enfermagem: pelo papel central da Enfermagem na prática, ensino e gestão dos serviços, torna-se essencial sua inserção nesta agenda. Assim, sugere-se capacitações técnicas periódicas dos profissionais, em seus locais de trabalho, de forma contextualizada e por meio de metodologias ativas


Referências:
Wadhwa PD, Entringer S, Buss C, Lu MC. The contribution of maternal stress to preterm birth: issues and considerations. Clin Perinatol. [on-line] 2011 Set [acesso em 30 nov 2016]; 38(3):351-84, 2011. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.clp.2011.06.007 World Health Organization (WHO). London School of Hygiene and Tropical Medicine (LSHTM). South African Medical Research Council (SAMRC). Global and regional estimates of violence against women: prevalence and health effects of intimate partner violence and non-partner sexual violence. Geneva: WHO; 2013.