Imprimir Resumo


Anais :: 69° CBEn • ISSN: 2318-6518
Resumo: 1753


1753

PERFIL DE VÍTIMAS DE VIOLÊNCIA SEXUAL E IMPLICAÇÕES PARA PRÁTICA DE ENFERMAGEM

Autores:
Lilian Christianne Rodrigues Barbosa (lilian_cbarbosa@hotmail.com) (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas - Maternidade Escola Santa Mônica) ; Luana Jeniffer Souza Farias da Costa (Universidade Federal de Alagoas e Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas) ; Lucilo José Ribeiro Neto (Universidade Federal de Alagoas - Hospital Universitário Professor Alberto Antunes) ; Mércia Lisieux Vaz da Costa (Hospital Universitário Professor Alberto Antunes e Maternidade Escola Santa Mônica) ; Paula Alencar Gonçalves (Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas) ; Thaysa Alves Tavares (Universidade Federal de Pernambuco - Hospital do Coração de Alagoas)

Resumo:
INTRODUÇÃO: A violência sexual produz um grande impacto na saúde física e psíquica das vítimas e familiares. Estima-se que anualmente a violência sexual atinja 12 milhões de pessoas no mundo. OBJETIVO: Descrever o perfil das vítimas de violência sexual atendidas em um serviço de referência. METODOLOGIA: Estudo epidemiológico, quantitativo, realizado em Maceió - Alagoas. Os dados foram obtidos no Sistema de Informação de Agravos de Notificação do Núcleo Hospitalar de Epidemiologia da Maternidade Escola Santa Mônica, durante o período de janeiro a dezembro de 2016. A população foi composta de 168 vítimas de violência sexual. RESULTADOS: Predomínio de casos na faixa etária entre 10-14 anos, raça parda, baixo nível escolar e vítimas solteiras. Em relação ao agressor notou-se que 45,20% foram realizados por pessoas desconhecidas. CONCLUSÃO: Observou-se que a população mais atingida foi as crianças e adolescentes, evidenciando a necessidade de atenção e normas específicas para seguimento deste tipo de agravo e grupo etário. CONTRIBUIÇÕES PARA ENFERMAGEM: A falta de conhecimento e magnitude da violência sexual é um entrave na atuação profissional e enfrentamento do problema. A enfermagem em seu exercício de cuidado social e gerencial necessita ampliar seus saberes na condução prática e legal dos casos de violência sexual, perfazendo uma assistência mais efetiva. DESCRITORES: Violência sexual. Assistência de Enfermagem.


Referências:
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes: norma técnica. 3. ed. atual. e ampl., 1. reimpr. Brasília: Ministério da Saúde, 2012. 2- PARANÁ. Secretaria Estadual de Saúde. Protocolo para o Atendimento às Pessoas em Situação de Violência sexual. Curitiba, 2015.